Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro Mortes no Ceará 2017

3972
Atualizado em 18/10/2017

Combate aos homicídios no Ceará recua no segundo trimestre nas Áreas Integradas de Segurança

pistola10

Uma notícia desanimadora para quem torce pela redução da violência armada no Ceará. Na tarde desta quinta-feira (31), a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou oficialmente em seu site que, no segundo trimestre deste ano (abril, maio e junho) das 18 Áreas Integradas de Segurança (AIS) no Estado, em apenas seis delas - menos da metade - as autoridades conseguiram bater a meta estabelecida pelo órgão na redução de homicídios, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios (roubos seguidos de morte), os chamados Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLI). A meta estabelecida é de redução de seis por cento em relação ao trimestre anterior. A queda nos índices de crimes ocorreu somente nas AIS 1, 6, 9, 11, 13 e 18.

No entanto, noutras quatro AIS (as de números  7, 8, 15 e 16) houve queda de registros de CVLIs em comparação a igual período do ano passado, mas não o suficiente para alcançar a meta de redução atual em seis por cento.

Resumindo: mesmo com o pagamento de gratificação para os policiais civis e militares, bombeiros militares e peritos criminais, para que estes façam cair a taxa de crimes em suas respectivas áreas de trabalho, o objetivo não foi totalmente alcançado no segundo trimestre de 2014.

Em Fortaleza, apenas duas AIS alcançaram a redução de seis por cento de assassinatos, leões corporais fatais e latrocínios. Foram a AIS-1 (que cobre 34 bairros das zonas central e oeste da Capital) e a AIS-6 (responsável pela segurança da orla marítima, que se estende da Barra do Ceará à Sabiaguaba). 

Já na Região Metropolitana de Fortaleza, de três AIS (7, 8 e 9) apenas a 9 (que cobre os Municípios de Eusébio, Aquiraz, Pindoretama, Cascavel, Horizonte, Pacajus e Chorozinho) diminuiu os crimes contra a vida. 

No Interior do Estado, onde estão distribuídas nove AIS (da 10 a 18), somente em três delas houve redução dos homicídios. Foi na AIS-11 (território composto por 26 Municípios do Cariri), AIS-13 (que abrange 24 Municípios do Maciço de Baturité) e a AIS-18 (responsável por seis Municípios da Região dos Inhamuns).

A implantação das Áreas Integradas de Segurança (AIS) foi uma estratégia criada pelo governo. Em cada uma delas, as polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros ficam responsáveis pela segurança de um número determinado de Municípios (no Interior e zona metropolitana) ou bairros (na Capital). Um delegado, um oficial da PM e outro do Corpo de Bombeiros foram designados como "xerifes" para comandar a luta contra a criminalidade em cada uma delas.

Gratificação

Além da implantação das AIS, foi estabelecida uma gratificação pecuniária para ser distribuiída a todos os agentes que atuam nas áreas quando a meta de redução de seis por cento nos CVLIs for alcançada. Esta gratificação é paga de três em três meses, período também em que são avaliados os registros criminais em cada setor. O valor da gratificação é fixo para os agentes das AIS que "baterem" a meta,  e proporcional para as Áreas que, mesmo sem alcançar a meta, reduzem os delitos. Nesta avaliação também está inserida a análise sobre os Crimes Contra o Patrimônio, os CCPs (roubos e furtos). Esta estratégia faz parte do programa "Em Defesa da Vida", que tenta conter o frenético crescimento dos índices de homicídios em todo o Estado do Ceará.

Exemplo positivo

Conforme o blogdofernandoribeiro.com.br publicou, com exclusividade, na última quarta-feira (30), em meio ao cenário de tanta violência, a AIS-1 tem se destacado na redução da criminalidade e vem, em dois trimestres seguidos, reduzindo os homicídios, lesões e latrocínios, graças a um trabalho de operações diuturnas das equipes que integram os efetivods das quatro companhias pertencentes ao 5ºBPM. Exenplo disso, é o trabalho que vem sendo realizado desde o começo do ano pelo efetivo da 3ª Cia. do 5º BPM nos bairros da zona Oeste de Fortaleza, como Pirambu, Barra do Ceará e Jardim Iracema, sob o comando do major Océlio Alves e do tenente-coronel Francisco Souto.  A redução de crimes ali, no semestre, alcançou o patamar de 14,97 por cento em relação a ingual período do ano passado.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar