Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

2.219 em 5/12/2019  

Manifestações: deputada fala de clima de medo, insegurança, desemprego e crise no País motivado pela corrupção

Alderlânia1

“As garantias que as classes mais pobres conquistaram no passado recente estão sendo ameaçadas pela má gestão do governo federal, que ocasiona a volta da inflação com toda força”.

A declaração foi feita na manhã desta terça-feira (18), na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, pela deputada estadual  Aderlânia Noronha, ao registrar ter participado das manifestações de repúdio à Presidente Dilma Rousseff e ao seu governo, no último domingo (16), em Fortaleza.

“Além da inflação, o desemprego já é uma realidade. A operação Lava-Jato está trazendo às claras a corrupção que está levando o brasileiro à desilusão. Não consigo perceber da parte do governo federal qualquer sinal  de humildade, qualquer  demonstração de que errou ou de que algo precisa ser feito. O resultado  é um clima de crise, de medo e de insegurança. E diante de tudo isso, um dos mais importantes instrumentos da democracia, para que os governantes possam mudar, é baixar a cabeça, e o povo nas ruas”, disse.

Em seguida, a deputada esclarece sua postura diante da participação nas manifestações. “O que me levou às ruas  não foram razões pessoais, o que me levou ao protesto  foi o compromisso que hoje assumo na política, de representar os mais  carentes. O que me levou a protestar foi a consciência de que a inflação destrói a vida das famílias mais pobres, foi a consciência de que a corrupção  tira sim a comida da mesa dos mais carentes”.

“As nossas empresas  estão voltadas para os segmentos mais populares da economia e posso assegurar aqui que o consumo dessas classes  sociais está longe do consumo de oito anos atrás. Os pobres estão se afastando das compras por causa da inflação, e as empresas voltadas para os segmentos populares  estão vendendo menos e demitindo. Isso é trágico”. 

E concluiu: “Lamento quando o governo e seus defensores tentam fazer  de conta que as coisas estão indo bem, quando isso não está. Lamento profundamente  e vejo que tais pessoas desmerecem as manifestações populares que levam milhões  brasileiros às ruas. Volto a afirmar, fui às ruas com a minha família motivada pelo sentimento  de que, represento sim uma considerável parcela de pessoas do meu estado. Pessoas humildes, gente que trabalha e merece  toda a atenção da minha parte”. 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar