Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará 2017

4.572

Atualizado em 23/11/2017  

Peritos denunciam que sofrem assédio moral e retaliação por revelarem irregularidades na Pefoce

Pefoce -m denpúncia 2

O DUT de uma das viaturas atesta que a última regularização no Detran foi em 2014

Pefoce - denúncia

A portaria para instaurar sindicância contra os peritos foi publicada no DOE

Peritos criminais denunciaram, ontem, através das redes sociais, estarem sendo vítimas de assédio moral e perseguição naquela instituição integrante da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Motivo: terem se recusado a ir às ruas atender ocorrências utilizando viaturas irregulares perante o Detran e sem a devida manutenção mecânica. Na prática, os servidores sofrem uma retaliação por conta de terem participado do movimento “Perícia Legal”.

Dois dos peritos (identidade preservada) estão sendo alvo de uma investigação preliminar instaurada pela Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD). A razão, conforme publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), é de terem se recusado a atender à ocorrências policiais despachadas via Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), no dia  8 de setembro do ano passado, período em que a classe de peritos realizava manifestações por melhores salários e condições de trabalho. 

Retardado

Naquela data, os dois peritos de plantão para atender às ocorrências na Capital e Municípios da Região Metropolitana e cidades próximas, se recusaram a utilizar a viatura da Pefoce de placas OCC-9594 (CE) alegando que tal veículo estava em situação irregular perante o Detran.

A documentação da viatura mostra que o veículo oficial estava, na ocasião, com sua documentação retardada desde o dia 15 de julho de 2014, portanto, sem regularização junto ás autoridades do próprio Estado do Ceará há dois anos e três meses.

Por conta dessa atitude, os peritos agora estão sendo alvo de uma investigação que pode resultar em punição ou até mesmo demissão do serviço público, já que a portaria de instauração da sindicância – e publicada no DOE – traz como motivo o fato de que eles teriam praticado “descumprimento de dever”. 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar