Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

952 em 23/5/2019  

Secretaria da Segurança Pública determina abertura de inquérito contra manifestantes que provocarem depredações e agressões nas ruas de Fortaleza

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) recomendou à Delegacia Geral da Polícia Civil (DGPC) a abertura de investigações sobre crimes diversos praticados durante manifestações nas ruas e avenidas da Capital. Um delegado já foi nomeado para apurar cada um dos casos.

Uma importante ferramenta eletrônica vai ajudar na identificação dos suspeitos. São imagens dos atos ilícitos, gravados por câmeras da própria SSPDS, do sistema de monitoramento do trânsito (CTAFOR), de imóveis públicos e privados localizados nas áreas onde os crimes ocorreram, e até mesmo imagens captadas pela Imprensa local e pelos setores de Inteligência da Segurança.

Com a identificação dos vândalos e agressores, estes deverão ser indiciados em inquérito policial de acordo com o delito praticado, desde danos materiais aos patrimônios públicos e privados, lesões corporais (nos casos de agressões físicas), incitação à violência, desacato à autoridade, resistência à prisão, uso ilegal de explosivos e outros artefatos, até crimes mais graves, como atentado ao direito do trabalho, incitação à violência e violação ao direito constitucional de ir e vir (com bloqueio de vias e outros equipamentos públicos, como terminais do transporte coletivo).

Um desses episódios ocorreu há cerca de duas semanas, quando estudantes da rede de ensino publico e blacksblocs partiram violentamente contra uma equipe de jornalistas em Fortaleza. Os profissionais de Imprensa foram surpreendidos quando deixavam as dependências de uma entidade associativa de policiais militares, no Centro da Capital, e foram agredidos. Um deles sofreu lesões. Já o veículo da emissora (TV Cidade) foi destruído com pedradas, pauladas e, por pouco, não foi também incendiado.

Os inquéritos deverão ser instaurados através da Delegacia de Combate aos Crimes Contra a Administração e a Fé Pública. Investigações já estão estão em andamento, embora que na fase inicial.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar