Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

1.681 em 13/9/2019  

Identificada mulher assassinada no bairro Jacarecanga. Vítima era ex-esposa de um empresário e foi morta a tiros

Iphone 18.7.2015 088

Sílvia Suzana foi morta com dois tiros na última quinta-feira

A Polícia Civil do Ceará, através da sua Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) começa a desvendar o mistério que envolvia o assassinato de uma mulher na madrugada da última quinta-feira (16), no bairro Jacarecanga, em Fortaleza. A vítima era a gaúcha Sílvia Suzana Lopes de Oliveira, 45 anos, ex-esposa de um empresário.

Segundo a Polícia, era por volta de 2 horas da última quinta-feira quando um carro preto parou de repente na Rua Oto de Alencar, a poucos metros do Quartel central do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), no bairro Jacarecanga, e dele desceu uma mulher. Logo em seguida, foram ouvidos vários estampidos. A mulher que descera do carro foi baleada. O carro sumiu em alta velocidade. A mulher morreu na hora. O carro da vítima, um Celta, não foi ainda localizado.

Somente na sexta-feira, o corpo de Sílvía Suzana foi reconhecido por familiares na Coordenadoria de Medicina Legal (Comel), da Perícia Forense do Estado do Ceará. O cadáver apresentava dois tiros e, ainda na sexta-feira, foi sepultado pela família em um cemitério particular em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Mistério

A delegada Socorro Portela, diretora da DHPP, está no comando das investigações. Ela já descobriu que Sílvia Suzana estava separada do esposo há cerca de cinco anos, mas os dois sempre estavam em contato. O casal teve duas filhas, que hoje têm 16 e 18 anos de idade. Elas moravam com a mãe, no bairro Benfica. O pai é empresário do ramo de publicidade e atua no setor de outdoor.

A delegada também descobriu que Sílvia Suzana tinha um namorado, um vigilante que é ex-empregado do ex-esposo da vítima. O ex-marido já foi ouvido em depoimento. O vigilante não foi, ainda encontrado, e passou a ser o suspeito número um na investigação.

A Perícia comprovou que Sílvia Suzana foi atingida por dois tiros. Ela morava em Fortaleza há cerca de 18 anos e era considerada uma pessoa calma. Como o carro da vítima foi roubado, a Polícia não descarta a hipótese de um latrocínio (roubo seguido de morte).

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar