Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

1.325 em 23/7/2019  

Polícia do Ceará apreende 3,7 mil armas de fogo em sete meses de 2015, entre elas, fuzis e metralhadoras de guerra

armas 10

Em sete meses de 2015, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) contabilizou um total de 3.789 armas de fogo apreendidas em todo o estado do Ceará. Um aumento da ordem de 5,1 por cento em comparação a igual período de 2014, quando foram recolhidas 3.605.

Segundo dados daquela Pasta, entre o material apreendido  estão 2.312 revólveres (o que representa 61 por cento do volume de apreensões), 863 espingardas (22,1 por cento), e mais 496 pistolas (13 por cento). Também foram apreendidas 21 armas de grande poder de fogo, como fuzis e metralhadoras.

Em todo o ano de 2014, o Ceará apresentou o total de 6.224 armas de fogo apreendidas . Em 2013 foram 6.124, portanto, 100 a menos.

O grande volume de apreensões  se deve às constantes operações de desarmamento realizadas nas ruas da Capital, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e também no Interior do estado. 

Segundo o secretário-executivo da SSPDS, coronel Lauro Prado, a tendência é que as apreensões aumentem em virtude do incremento de novas unidades operacionais em ação no Interior, como  os batalhões de Rondas de Ações Intensivas e ostensivas (BPRaio) e de Divisas, além do intenso trabalho das equipes do Comando Tático Rural (Cotar), pertencente ao Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque).

Na Capital, a ofensiva da Polícia contra o tráfico de drogas e os registros de homicídios leva as autoridades à desarticulação de grupos criminosos que, quase sempre, detêm muitas armas. Foi o caso de uma quadrilha capturada em um velório de um comparsa, no bairro Conjunto Palmeiras, onde foram apreendidas de uma só vez três pistolas e cinco revólveres, além de farta munição.

Armas de guerra

Outro fato que chamou a atenção das autoridades foi a quantidades de armas de grande potencial de fogo  encontradas em poder de criminosos, principalmente de quadrilhas que atuam no crime de roubo a banco e ataques a carros-fortes.

Vários fuzis nacionais e importados estavam nas mãos de bandidos capturados em ações da PM e da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), bem como, da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD).  Entre elas, fuzis Ak-47 e similares do americano AR-15, armas de guerra usadas também por guerrilheiros e terroristas e que são contrabandeadas para o Brasil.  Fuzis de calibres 5.56 e 7.62 são os mais comuns encontrados com os delinqüentes.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar