Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

2.200 em 11/11/2019  

Polícia identifica chefe do bando que atacou fazenda e deixou um PM ferido a tiro. Caçada à quadrilha continua no Vale do Jaguaribe

Jaguaretama - caçada 007Jaguaretama - caçada 004

Edilando da Silva Nogueira tem uma extensa ficha de crimes na região do Vale do Jaguaribe

Jaguaretama - caçada 002

Os demais integrantes do bando também são conhecidos da Polícia

Jaguaretama - caçada 011

O Siena usado pela quadrilha foi localizado na manhã de hoje em Jaguaretama

Jaguaretama - caçada 012

Várias patrulhas da PM fazem o cerco na zona rural na caça aos criminosos

Jaguaretama - caçada 014Jaguaretama - caçada 013

Na manhã de hoje, policiais estiveram na fazenda atacada pelos criminosos na noite anterior

Policiais militares do Comando Tático Rural/Batalhão de Polícia de Choque  (Cotar/BPChoque),  do Batalhão de Divisas (BPDIV), da Força Tática de Apoio (FTA) das 1ª e 3ª Companhias do  1º BPM (Russas e Jaguaribe), além dos Destacamentos de várias cidades do Vale do Jaguaribe estão empenhados na caça à quadrilha que atacou uma fazenda  no Município de Jaguaretama (a 241Km de Fortaleza), manteve uma família como refém e baleou gravemente um policial militar. O chefe do bando e seus comparsas já foram identificados.

O homem tido como líder da quadrilha foi identificado na manhã desta sexta-feira depois que a Polícia conseguiu pistas do grupo. Trata-se de Edilando da Silva Nogueira, 25 anos, natural de Jaguaretama e residente do Sítio Aroeiras. Ele e seu bando estão sendo literalmente caçados por um contingente de quase 60 policiais civis e militares, com o apoio de um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer).

Ameaças

Na noite de ontem (7), por volta de 19 horas, Edilando e sua quadrilha invadiram a fazenda do agropecuarista José Agledeston Pinheiro, conhecido na região como “Dedé Nogueira”.  A propriedade rural fica a cerca de cinco quilômetros da cidade. O fazendeiro e sua família tiveram armas apontadas para a cabeça, passaram por ameaças e espancamentos.

 “A todo momento,  eles exigiam dinheiro, me ameaçando e me espancando. Estou com o corpo todo dolorido. Minha sorte foi que a Polícia chegou. Nunca tinha passado por uma situação dessa”, disse  o agropecuarista, na manhã de hoje, ao chefe do Comando do Policiamento do Interior, coronel PM Júlio Aquino, que coordena pessoalmente a operação no sertão.

A Polícia localizou, já na manhã de hoje, um dos carros usados pela quadrilha para chegar até a fazenda e executar o assalto. Um Siena preto, com placas de Maracanaú (ORZ-1954). O veículo é roubado. 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar