Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Portuguese English French Italian Japanese Spanish

Operações diuturnas reduzem crimes em 34 bairros da Área Integrada de Segurança Um (AIS-1), em Fortaleza

Souto1

Diante do avanço da criminalidade no Estado do Ceará, um cenário diferente tem se destacado na luta pela redução da violência. Trata-se das operações deflagradas diuturnamente pela Polícia Militar, junto com a Polícia Civil e as  "forças amigas", na Área Integrada de Segurança Um (AIS-1). Por dois trimestres seguidos, a AIS-1 foi a que mais reduziu os Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLI), que incluem os homicídios, latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais seguidas de óbito. Essa redução resultou na queda de 14,97 por cento no número de homicídios da AIS-1 no primeiro semestre de 2014 em comparação a igual período de 2013.

A área é composta por, nada menos, 34 bairros, entre eles, Centro, Praia de Iracema, Presidente Kennedy, Jardim Iracema, Floresta, Colônia, Pirambu, Quintino Cunha, Vila Velha, Álvaro Weyne, Barra do Ceará, Carlito Pamplona, Jacarecanga, Elleri, Monte Castelo, Moura Brasil, Alagadiço Novo, Amadeu Furtado, Benfica, Parquelândia, Bom Futuro, Damas, Farias Brito, Jardim América e Rodolfo Teófilo. A população estimada nesta área da Capital cearense é de 600 mil pessoas.

À frente dessa tarefa de combate à criminalidade, o comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel PM Francisco Souto, explica que a tarefa de reduzir os índices de violência armada e, principalmente, os crimes contra a vida e contra o patrimônio, tem exigido um trabalho diuturno, de domingo a domingo, com operações que vão se desenvolvendo de acordo com os registros dos delitos. "Vamos reinventando todos os dias. Onde detectamos foco de violência, imediatamente iniciamos operações no local", assegura.

Para chegar a tais números na queda dos crimes violentos, Souto explica que foram adotadas importantes estratégias que ele mesmo faz questão de citar. "Primeiro, a democratização da informação, isto é, não adianta o comandante da área saber onde estão os focos do crime e quem são os criminosos, e não repassar a informação ao soldado que trabalha no setor. Então, partilhamos as informações todos os dias. O segundo ponto são as operações diuturnas. Estamos trabalhando de domingo a domingo, sem dar trégua à criminalidade. Terceiro ponto importante é a presença do comandante à frente da tropa. Por último, a constante avaliação e correção das estratégias, com flexibilidade, mundando de acordo com as necessidades e demandas da área", esclarece.

souto3

Prisões

Para reduzir os crimes, segundo o comandante, foi importante a articulação do 5º BPM com as "forças amigas", instituições que contribuem nas operações, como a AMC, que tem participado de blitze conjuntas para a apreensão de veículos irregulares ou utilizados por bandidos em assaltos e homicídios, principalmente, motocicletas.

Ainda de acordo com o oficial, nessas operações diuturnas e integradas, vários bandidos considerados como chefes de quadrilhas de traficantes de drogas, assaltantes e homicidas acabaram presos. O coronel cita os casos dos traficantes da Barra do Ceará, conhecidos como "Playboy" e "Gago", membros do grupo criminoso chefiado pelo traficante "Márcio do Gueto". Também foram capturados os traficantes "Leleca" e "Gaby", que chefiavam o tráfico na Praia de Iracema e na comunidade do Oitão Preto, no bairro Moura Brasil (zona Central), além de delinquentes de altíssima periculosidade, como o assaltante conhecido por "Zé da Barra", responsável por chefiar um bando ligado a ataques a bancos e carros-fortes.

Carência

De acordo com o tenente-coronel F. Souto, dentro da AIS-1 há comunidades onde a pobreza é a principal característica. "Temos nesse setor, diversos bairros com IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) baixíssimo e renda per capita bem abaixo de um salário mínimo. Há locais onde, sequer a  Polícia pode entrar com viaturas, sendo necessárias incursões em motos ou a pé para combater o crime". Conta, ainda, que, em vários locais onde havia tiroteios diários, além de mortes e lesões corporais, houve uma ocupação permanente da tropa, como na Praça do Abel, Quadra do Chico dos Ovos e Caldeirão, no bairro Pirambu. 

O comandante ressalta que o 5º BPM é composto por quatro companhias, sendo uma delas que atua, exclusivamente, no policiamento à pé (2ª Cia.) e as outras três com policiamento motorizado, são elas, 1ªCia. (Centro), 3ª Cia. (Cristo Redentor) e 4ª Cia. (Antônio Bezerra).  

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar