Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Portuguese English French Italian Japanese Spanish

Aunos e professores viram reféns de bandidos em escola pública de Horizonte

 Imagens do ataque na escola:

Cerca de 30 alunos e funcionários de uma escola pública da cidade de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza (a 40Km da Capital), viraram reféns de bandidos armados dentro das salas de aula. O crime ocorreu na noite desta segunda-feira (24) e até o momento nenhum dos assaltantes foi preso.

O ataque ocorreu por volta de  21 horas, quando dois homens, usando armas de fogo e capacetes, invadiram o Centro de Educação de Jovens e Adultos, no Centro da cidade.  Logo, os funcionários que estavam na portaria foram os primeiros a serem dominados pelos ladrões.

Em seguida, os bandidos seguiram com os reféns até as salas de aula e ali praticaram um “arrastão”, roubando aparelhos celulares, carteiras, bolsas, relógios e dinheiro dos estudantes. As ameaças de matar quem reagisse levaram os reféns ao pânico.  Mas, apesar do terror espalhado pelos bandidos, ninguém esboçou reação e os ladrões fugiram sem deixar feridos.

Assaltos

No caso da escola, as câmeras filmaram a ação da dupla de assaltantes e as imagens podem facilitar na identificação dos ladrões, muito embora eles tenham escondido o rosto em capacetes.

Pânico e falta de segurança

Já a viznha cidade de Pacajus vive também um drama na segurança pública. O efetivo da Polícia Militar ali foi reduzido  e  os ataques de criminosos aumentaram vertiginosamente nos últimos dois meses, deixando um rastro de medo para a população e também prejuízos para o comércio local.

Na manhã de domingo último (23), o alvo dos criminosos foi uma loja de eletrodomésticos e móveis no Centro, onde os bandidos fizeram funcionários e clientes como reféns, dispararam tiros e roubaram todo o dinheiro que havia no estabelecimento. Já no começo da madrugada de segunda-feira, um crime de duplo homicídio foi registrado no bairro Park Aldeia, onde dois homens foram executados sumeriamente a tiros. Ninguém foi preso nas duas ações criminosas.

Moradores e a Imprensa local denunciam que Pacajus contava com cinco patrulhas da PM, destacadas do Batalhão de Policiamento Comunitário/BPCom (Ronda do Quarteirão) e do Policiamento Ostensivo Geral (POG). Contudo, esse número foi reduzido para uma viatura, que tem que atender também as ocorrências no vizinho Município de Chorozinho. 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar