Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2018

3.913 em 15/10/2018  

Atentado contra agentes mostra a ousadia e o poder bélico do crime organizado no Ceará

Intermitente piscandoIntermitente piscando Intermitente piscando

SIRENE ABERTA Fernando Ribeiro

Fuzil 2

O atentado sofrido, no último domingo (15), por dois servidores do Sistema Penitenciário do Ceará revela até que ponto o crime organizado vem agindo no estado, com ações audaciosas e violentas que desafiam o poder público e amedrontam a população. Portando armas de guerra – como fuzil e submetralhadora – um grupo criminoso atentou contra a vida da ex-coordenadora do Sistema, Socorro Matias, e seu esposo que também é agente prisional.  As cenas do ataque foram gravadas em câmeras instaladas nas proximidades da residência dos “alvos”, no bairro João XXIII, em Fortaleza, e logo se espalharam através dos aplicativos de celulares e nas redes sociais.

Facções criminosas agem dentro e fora dos presídios cearenses de forma ostensiva e violenta. Não escondem seu poderio de fogo nem poupam munição na hora de mostrar até onde vão quando é hora de matar.  Três dias depois, veio a providência do estado, com o anúncio de que armas de fogo (pistola) serão cedidas aos agentes penitenciários para sua proteção pessoal. Esses trabalhadores atuam numa área de altíssimo risco, pois são os responsáveis por impor a disciplina em presídios loteados por facções e onde estão bandidos de altíssima periculosidade, como traficantes de drogas, assassinos e assaltantes de bancos e carros-fortes. Formam a “nata” da marginalidade e não aceitam regras. Assim, os agentes são constantemente ameaçados. A providência tomada pelo estado vem em boa hora. É preciso que estes servidores tenham o mínimo de proteção estatal.

FACÇÕES SITIAM A CIDADE

 Assim como no episódio envolvendo os agentes penitenciários, a população também está refém da bandidagem. Isso vem acontecendo em todas as áreas da região periférica de Fortaleza onde as facções implantaram terror. Bairros e comunidades como a Rosalina (Parque Dois irmãos), Palmeiras (Jangurussu), Goiabeiras (Barra do Ceará), Cais do Porto (Mucuripe), Floresta (Álvaro Weyne), Ancuri (Grande Messejana) e tantos outros hoje estão dominadas pelos grupos armados que se dizem ligados ou subordinados às ordens das facções  Comando Vermelho (CV), Guardiões do Estado (GDE), Família do Norte (FDN) ou Primeiro Comando da Capital (PCC).  Nas Goiabeiras, há cinco dias os moradores estão acusados dentro de casa temendo os confrontos armados entre bandidos. O “olho do furacão” fica no entorno da Areninha do bairro, onde na sexta-feira passada (15), um adolescente de 14 anos foi morto por membros de um dos grupos criminosos.  São situações que desafiam o poder de Polícia do estado e deixam a população refém.

ARSENAL TIRADO DAS RUAS

Saiu mais uma estatística da Segurança Pública do Ceará. Aumentou o número de armas de fogo apreendidas pelas forças policiais neste ano em comparação a 2016. O aumento é da ordem de 27 por cento, segundo as estatísticas da SSPDS  divulgadas na última sexta-feira (15). Segundo o órgão, entre janeiro e dezembro deste ano, foram confiscadas pela Polícia, nada menos, que 6.209 armas, enquanto no período igual de 2016, foram apreendidas 4.885.  Isso mostra que a Polícia vem agindo de forma sistemática no combate ao crime, mas revela também o poderio bélico que está nas ruas e, em sua maioria, nas mãos de criminosos. A Polícia Militar tem feito um trabalho fundamental neste campo, especialmente as patrulhas das chamadas “forças especiais”: Força Tática (FT), Batalhão de Choque (BPChoque), Batalhão Raio (BPRaio), Batalhão de Divisas (BPDIV), Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), de Policiamento do Meio Ambiente (BPMA)  e Batalhão do Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE).

DELEGACIAS PRECÁRIAS

Um relatório minucioso, preparado nos últimos meses, mostra a grave situação em que se encontra a Polícia Judiciária do Ceará.  Promotores de Justiça saíram de seus gabinetes e foram visitar as delegacias de Polícia Civil da Capital, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e do Interior. O que viram e presenciaram não foi nada de bom.  Das 166 delegacias da PC no Ceará, apenas 14 delas possuem um efetivo condizente com a carga de trabalho a ser tocada. Nas demais, a defasagem de efetivo é gritante. A falta de delegados, inspetores e escrivães impede que as unidades possam oferecer um serviço de qualidade para a população. Na Capital, a falta de pessoal faz com que das 35 distritais, apenas nove funcionem em regime de plantão 24 horas, No Interior, a situação é ainda pior. Das 20 Regionais, só 11 não fecham as portas à noite e nos fins de semana e feriados.  O recente anúncio do governo de convocar 630 aprovados no concurso de 2014 não atende, nem de longe, a necessidade de reposição de efetivo. E para 2018 a situação vai se agravar com um batalhão de delegados que irão se aposentar após garantir melhoria salarial com a elevação da categoria ao quadro das carreiras jurídicas. Aguardem.

RECORDE TRÁGICO

A gestão de Camilo Santana (PT) à frente do Palácio da Abolição já se constitui como recordista no número de mortes de agentes da Segurança Pública. Falta ainda um ano de administração, mas no período de 1º de janeiro de 2015 até a presente data, já foram mortos no estado, nada menos, que 78 servidores, entre policiais civis, policiais militares, bombeiros militares, policiais rodoviários federais, agentes penitenciários e guardas municipais. Somente neste ano, são 21 PMs, um inspetor da Polícia Civil, um bombeiro militar e seis guardas municipais. Isso sem contar as dezenas de agentes que todos os dias são assaltados e feridos por bandidos. A mais recente vítima fatal desta violência foi o sargento PM Izaías dos Santos Lima, que tombou após ser baleado no atendimento à uma ocorrência na cidade de Milhã (a 300Km de Fortaleza). Ele e sua patrulha tentaram impedir o resgate de presos da Cadeia Pública. Izaías foi baleado pelos criminosos e não resistiu.

CRIME DE INTOLERÂNCIA

Mais um crime de intolerância foi registrado pela Polícia em Fortaleza, mas, por não ter sido filmado, não teve a mesma repercussão do Caso Dandara. O fato ocorreu no último fim de semana, quando um homossexual foi espancado, arrastado pelas ruas e morto a tiros na comunidade Jardim Jatobá, no Grande Bom Jardim. O travesti conhecido por “Canoa”, cuja identidade verdadeira era José Claudionor Ribeiro pereira, 29 anos, foi executado sumariamente.  Até agora, a Polícia não revelou nomes de suspeitos do crime. Coincidentemente ou não, os dois casos citados ocorreram no chamado “Território da Paz”.  Mas de paz, o Grande Bom Jardim não tem nada. Os índices de violência ali são altíssimos. Recentemente, o governo implantou no bairro uma Unidade Integrada de Segurança (Uniseg). A população torce para que isso, ao menos, diminua os crimes.

E TEM MAIS:

* Até o fim da semana, o Ceará pode alcançar o número de 5 mil casos de homicídios. Nesta quarta-feira, o estado já registra 4.968 casos.  Assim, já foi batido o  recorde histórico da violência no estado. Foi em 2014, quando foram registrados 4.439 homicídios, até então a pior marca da violência local.

* Uma operação realizada pelas polícias Civil e Militar na cidade de Jaguaribe (a 300Km de Fortaleza) nesta terça-feira, resultou na prisão de várias pessoas acusadas ou suspeitas de envolvimento com crimes diversos, principalmente tráfico de drogas e assassinatos naquele Município.

* De “vento em popa” a operação “Centro Seguro” na Malha Central de Fortaleza. O reforço no policiamento à pé e motorizado tem surtido efeito positivo. Quem caminha pelo Centro presencia dezenas de policiais militares fazendo a vigilância. Bom também para os comerciantes e empresários.

* Guardas municipais de Fortaleza estão em pleno treinamento para atuarem no Plano Municipal de Proteção Urbana. O PMPU entra em faze experimental já neste mês, na Barra do Ceará e Jangurussu. Os guardas usarão pistolas e carabinas de calibre 12 (escopetas) no trabalho ostensivo.

* A cúpula da Segurança Pública ainda não definiu quem vai substituir o delegado Raphael Vilarinho no comando da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). Ele decidiu solicitar exoneração do cargo, diante dos pedidos de sua família.  A DRF lida diretamente no combate aos assaltos a bancos e carros-fortes.

* Deve chegar a Fortaleza nos próximos dias o primeiro de dois helicópteros alemães comprados pelo estado para reforçar a frota de aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer). Custou, cada um, cerca de R$ 41 milhões. O segundo chega somente em 2018.

E A PERGUNTA DO DIA: Secretário André Costa será mesmo candidato nas eleições de 2018???

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar