Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará 2018

2.779

Atualizado em 20/7/2018  

Bandidos fogem de Fortaleza e implantam terror em pequenas cidades do Interior

Intermitente piscandoIntermitente piscando Intermitente piscando

SIRENE ABERTA Fernando Ribeiro

Balas balas balas balas

A migração de bandidos da Capital para as cidades da Região Metropolitana de Fortaleza e para o interior é uma realidade e representa uma nova faceta da violência no Ceará. Fontes seguras nos informaram que em Pacajus, por exemplo, os índices de assassinatos aumentaram bastante nos últimos meses devido á presença de muitos criminosos que chegaram ali oriundos de vários bairros de Fortaleza. Muitos estão ameaçados de morte ou foram expulsos de suas áreas do tráfico por conta da guerra entre as facções. Eles invadem os condomínios populares (do programa Minha Casa, Minha Vida), expulsam os moradores e se estabelecem ali, formando novos guetos do crime, mas acabam sendo descobertos pelos inimigos, que vão até lá e os matam. Pacajus está lotado de bandidos do Bom Jardim, da Vila Velha e de outros recantos da Capital. Outras cidades passam pelo mesmo problema. Em Paraipaba, bandidos do Pirambu e da Barra do Ceará se alojaram na periferia da cidade e estão acusando serias ameaças aos habitantes naturais de lá.

CORTANDO A PRÓPRIA CARNE

No mesmo dia em que o governador do estado, Camilo Santana (PT), entregava às instituições da Segurança Pública 100 novas viaturas para reforçar o combate ao crime, cinco policiais acabaram presos após cometerem um assassinato. Saíram de Fortaleza armados e foram até a cidade de Jijoca de Jericoacoara, no litoral Oeste, para matar um jovem. Forampresos em flagrante quando tentavam retornar para a Capital. A fuga foi interrompida por policiais militares na cidade de Acaraú, em um cerco inteligente onde não foi preciso disparar um único tiro. Os episódios mostram os dois lados de uma mesma moeda. Enquanto a Segurança corre para reduzir a criminalidade descontrolada no Ceará (com mais de mil mortos só nestes primeiros três meses), integrantes da própria categoria sujam a farda. Cortar a própria carne vai ser preciso, por mais que doa. Terão que ser banidos das suas corporações e condenados. É A faxina que o estado precisa fazer.

ENCARAR A CRIMINALIDADE

Hoje, no estado do Ceará, já são mais de 16 mil policiais militares e outros três mil policiais civis. O contingente é pequeno para as demandas da Segurança, mas é bom ressaltar que a grande maioria é formada por profissionais honestos, de fibra e dedicados ao seu trabalho. Aqueles que saem todos os dias de casa e não sabe se voltarão, pois precisam, por força da atividade, encarar frente a frente a criminalidade, a bandidagem que anda solta no Ceará. Não há aqui espaço para comparações. Os bons policiais precisam ser valorizados. Os maus policiais devem ser banidos nas instituições, sem corporativismo, mas também sendo obedecida rigorosamente a lei, que permite a defesa e autoriza o contraditório. É assim que deve ser praticada a boa Justiça. Quem sujou a farda, rua...

RECANTOS TURÍSTICOS

Neste mesmo episódio da prisão dos policiais ficou patente que a Segurança Pública precisa ser melhorada nos nossos recantos de interesse turístico. Jericoacoara é conhecida mundialmente como uma das praias mais belas do mundo. Para ela estão voltadas as atenções de milhares de turistas que todos os anos aqui aportam para desfrutar de suas belezas naturais. Porém, a violência tem deixado a sua marca no Município onde está a incomparável Jeri. Desde o começo do ano, já são sete assassinatos na cidade, além de recorrentes casos de furtos e roubos. O contingente da PM na comunidade foi aumentado pelo governo após o episódio envolvendo artistas da Rede Globo que disseram terem sido agredidos ali. Mas, além do policiamento mais amplo, é preciso um trabalho de inteligência para reduzir os crimes, a maioria ligada ao tráfico de drogas.

TELHADO DE VIDRO NAS RUAS

Depois de Caucaia e Horizonte, outras cidades da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e do interior do estado serão contempladas pelo governo do estado com a implantação do vídeo-monitoramento eletrônico. Câmeras postas das vias públicas para captar hora a hora o movimento das ruas e, assim, flagrar ou evitar a ação de criminosos. A ferramenta é importante se for acompanhada de um trabalho preventivo. Não basta observar, é preciso intervir nas horas precisas. Para tanto, surge a importância do trabalho integrado entre Estado e Município. As guardas municipais podem ajudar muito neste contexto de prevenção ao crime. Cidades como Maracanaú, Eusébio, Pacajus, Caucaia e outras já contam com esse trabalho participativo de suas Guardas em operações conjuntas com as forças de segurança estaduais. Fortaleza é um exemplo disso. A Guarda Municipal de Fortaleza está, cada vez mais, atuante nas vias e nos equipamentos urbanos de grande movimentação, como os terminais de passageiros.

EXPERIÊNCIAS VALIOSAS

Vice-prefeito de Fortaleza, Moroni Bing Torgan, voltou recentemente, de viagem a Israel. Foi conhecer de perto, o trabalho de Inteligência realizado pelas forças de Segurança naquele país. Viu de perto como as atividades neste sentido precisam de integração, compartilhamento de informação e avanços tecnológicos. Bom para nós cearenses e, especialmente, os fortalezenses, já que Torgan é quem está à frente como idealizador e executor do Programa Municipal de Proteção Urbana (PMPU). Antes, o vice de Roberto Cláudio esteve em outros países com experiências exitosas na Segurança Cidadã. Esteve na Colômbia, nos estados Unidos e noutras nações que ganharam a”guerra” contra o crime. Essas experiências, adaptadas à nossa realidade, trarão mais novidades para a execução do PMPU, que vai instalar até fim do ano, várias Células de Proteção Urbana, como a que já foi implantada no bairro Jangurussu e que está atuando como plano-piloto.

DINHEIRO PARA A SEGURANÇA

Pode ultrapassar a cifra de R$ 1 bilhão o aporte financeiro que o governo federal deverá liberar para os estados brasileiros que enfrentam maiores problemas com a Segurança Pública e o Sistema Penitenciário. E o Ceará está inserido nesta lista. Além do avanço das facções criminosas nas ruas e nas cadeias, há o problema do grave sucateamento da Polícia Judiciária (Polícia Civil) e a falta de pessoas. Nas delegacias de Polícia de cidades pequenas a situação é esdrúxula. As unidades fecham as portas no período noturnos, nos fins de semana e nos feriados inteiros. Exemplo disso aconteceu no fim de semana passado na cidade de Nova Russas (a 300Km de Fortaleza). Bandidos facilmente entraram no prédio da delegacia, em plena tarde de domingo (não há expediente neste período) e roubaram cerca de 11 armas apreendidas, além de uma submetralhadora pertencente à Polícia Civil. E se a população precisar dos serviços da Polícia? Certamente, não os terá.

E TEM MAIS!!!

* Donos de sítios e chácaras no Município de Guaramiranga, no Maciço de Baturité, estão pedindo socorro às autoridades da Segurança Pública diante do clima de terror que se instalou naquela região. Bandidos armados invadem as propriedades, ameaçam proprietários e empregados e roubam tudo o que podem. Fazem apelo por providências.

* Marcada para o dia 4 de abril próximo a data da inauguração da segunda Célula de Proteção urbana da Prefeitura Municipal de Fortaleza. A Torre de Segurança foi edificada ao lado da Areninha da comunidade Goiabeiras, na Barra do Ceará.

* Ministério Público Estadual, através da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), reiniciou a caça aos maus gestores públicos, aqueles que se apossam do dinheiro dos cidadãos, em geral, praticando falcatruas em processos de licitação. As investigações estão se aprofundando e haverá muitas prisões.

* Em audiência pública no Cariri, o secretário-adjunto da Secretaria da Justiça, Sandro Camilo, anunciou que em maio próximo será nomeada a primeira turma de novos agentes penitenciários aprovados no concurso público, no ano passado, e que estão concluindo o curso de formação.

* Cidade de Itarema, no litoral Oeste do Ceará, vive clima de medo e tensão. Em uma semana, quatro pessoas foram assassinadas ali. Uma delas teve o corpo encontrado sem a cabeça. Desde o começo do ano, já são 17 homicídios, uma violência sem precedentes no, até então, pacato Município.

* Já em Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza, 27 assassinatos aconteceram desde o começo do ano. A migração de bandidos da Capital para Pacajus fez o Município despontar no ranking das cidades mais violentas do cinturão metropolitano.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar