Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2018

4.584 em 10/12/2018  

Estatísticas revelam que a matança não tem freio no Ceará

Intermitente piscandoIntermitente piscando Intermitente piscando

SIRENE ABERTA Fernando Ribeiro

Balas 1 

As ruas de Fortaleza têm servido de palco para a matança produzida pela guerra de facções

Fim do primeiro quadrimestre de 2018 e os números da violência no Ceará continuam bem ruins. Em todos os cenários estatísticos, os números mostram o crescimento vertiginoso dos Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs). Entre janeiro e abril de 2017, 1.354 pessoas foram assassinadas no estado. Já neste ano, em igual período, o número de homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte chegaram a 1.614, o que representa um crescimento geral da ordem de 19,2 por cento. Se forem acrescidos á estatística geral os casos de mortes no Sistema Penal e nos confrontos entre polícia e bandido o aumento é ainda maior, saltando de 1.405 casos em 2017 para 1.722 óbitos, uma elevação de 22,5 por cento.

NÚMEROS MASCARADOS

Contudo, a estatística oficial do governo do Ceará não inclui esse dois tipos de mortes (assassinatos em presídios e mortes por intervenção policial), deixando tais fatos de fora dos números que são apresentados, mensalmente, à Imprensa. Jornais e emissoras de tevê locais não questionam. O governo agradece, e passa para a população através desses meios de comunicação a informação mascarada de que a criminalidade vem caindo. Reparem: somente nos casos de mortes por intervenção policial (que também geram inquéritos policiais, é bom que se diga) o aumento neste ano, em comparação a 2017, já é de 80,8 por cento, saltando de 47 para 85 casos. Já as mortes no Sistema Penal, o aumento foi de 475 por cento (isso mesmo, 475%), passando de 4 para 23 homicídios nas unidades penais, incluindo a chacina com 10 detentos mortos, registrada na Cadeia Pública da cidade de Itapajé, na manhã de 29 de janeiro.

VIDAS PERDIDAS

Números são exatos e não deixam brechas para interpretações. A estatística real não deixa nenhuma duvida do avanço da violência no Ceará, se contrapondo aos bilionários investimentos que o governo afirma que vem fazendo neste setor da administração pública. Mais efetivos, mas viaturas, mais helicópteros e mais propaganda parecem não serem suficientes para aplacar a criminalidade nas ruas das cidades e no campo. Na comparação geral do quantitativo de CVLIs entre o primeiro quadrimestre de 2017 e o de 2018 são 317 assassinatos a mais, 317 vidas perdidas nas mãos dos criminosos; 317 execuções. E entre essas 1.722 pessoas mortas em apenas quatro meses, estão muitos cidadãos, como o desportista Bebeto Studart, a universitária Cecília Rachel e o humorista “Fonsequinha”, além de cinco policiais militares.

AUDIÊNCIA DA IMPUNIDADE

Algemado 1

Bandidos presos por envolvimento na morte da estudante universitária Cecília Rachel Moura já estão novamente soltos nas ruas de Fortaleza. A permanência deles atrás das grades foi apenas questão de horas. Apesar do grande esforço feito pelas autoridades policiais para uma resposta rápida e eficiente no esclarecimento do crime e na identificação e prisão de seus autores, o trabalho não teve o resultado recompensado na Justiça. Com poucas horas da prisão, os acusados foram levados da delegacia para uma audiência de custódia e liberados pela Justiça com o aval do Ministério Público. Na tentativa de reverter tal situação, o promotor Felipe Diogo Frota, da 8ª Promotoria de Justiça Criminal de Fortaleza, encaminhou à Justiça a denúncia contra os sete acusados e, ao mesmo tempo, solicitou que todos permaneçam presos até o julgamento. Se o juiz acatar, será mais trabalho para Polícia, sair de novo atrás dos criminosos, o que vai representar desgaste para os agentes e mais custos ao estado. Assim, funciona nossa Justiça.

MONITORAMENTO DE ARAQUE

Tornozeleira

 

Mais de mil bandidos estão soltos nas ruas de Fortaleza usando tornozeleiras eletrônicas. Grande parte voltou ao crime mesmo recebendo a condição de ficar em liberdade, através de medidas cautelares. Praticamente todos os dias, a Polícia prende criminosos assaltando nas ruas, traficando drogas ou matando pessoas. E estão com tal equipamento de monitoramento, provando que este suposto rastreamento ou vigilância eletrônica e nada são a mesma coisa. A Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus), responsável pelo serviço, não consegue vigiar os “tornozelados”. Facilmente eles rompem o equipamento. Outros, nem perdem tempo com isso, voltam a assaltar, traficar e matar mesmo com o aparelho preso na perna. Sabem que o monitoramente é fraco ou verdadeiramente inexiste. Dinheiro público jogado fora.

CARTÃO MANCHADO

Os assaltos voltaram a atormentar os freqüentadores habituais, comerciantes, esportistas e turistas no calçadão e na faixa de areia da Avenida Beira-Mar, principal cartão-postal de Fortaleza. Na semana passada, foram registrados vários episódios de violência: uma tentativa de “arrastão” que terminou em tiroteio, um turista estrangeiro atacado e que teve seu cordão de ouro roubado; além de mais assaltos na área da praia de Iracema. A área tem se tornado perigosa mesmo contando diariamente com a presença de policiais militares á pé e motorizados. Nos fins de semana a situação fica mais crítica por conta do aumento do fluxo de pessoas na orla. Na área do Mucuripe, os ladrões atacam as pessoas no calçadão e fogem para o mar, se escondendo debaixo dos barcos ancorados ali. E ainda não estamos no período da alta estação.

E TEM MAIS:

* Sindicato dos Policiais Civis do Ceará comemora a decisão do Tribunal de Justiça do Estado, que autorizou escrivães e inspetores a lavrarem Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs), antes a prerrogativa era exclusiva dos delegados, assim como é o flagrante.

* Associação dos Delegados de Polícia do Ceará (Adepol) não vai deixar barato o episódio que causou a tentativa de suicídio do delegado Romério Moreira de Almeida, afastado sob a suspeita de crime de corrupção. Entidade fará uma representação junto ao Conselho Nacional do MP, em Brasília.

* Secretário da Segurança Pública do Ceará, André Costa, gosta mesmo de navegar nas redes sociais e adora postar fotografias dele. A mais recente, aparece empunhando um dos novos fuzis adquiridos para a Polícia. Fez pose de Rambo (ou de exterminador do futuro??!!).

* Município de Caucaia tem liderado há dois meses o ranking da violência na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Somente em abril, 28 pessoas foram assassinadas ali ou tiveram os corpos “desovados” no Município. O segundo da lista é Maracanaú, com 25 CVLIs no mês passado.

* Funcionários de um hospital localizado no fim da Avenida Pontes Vieira, próximo à Avenida Virgílio Távora, no Dionísio Torres, denunciam que estão sendo assaltados quando termina o turno da noite. Quando vão para casa, por volta de 6 horas, são atacados por criminosos nos pontos de ônibus.

* Marcada para o próximo dia 17 a inauguração da Torre de Segurança do Programa Municipal de Proteção Urbana (PMPU), da Prefeitura de Fortaleza. A célula de segurança foi erguida ao lado da Areninha da comunidade Goiabeiras, na Barra do Ceará.

* Assassinato da jovem Karina Firmino, na cidade de Acopiara (a 340Km de Fortaleza), completa dois anos neste sábado. Até hoje os mandantes e pistoleiros não foram punidos. Segundo boatos, o processo vem sendo abafado por interferência de um importante autoridade do meio jurídico local.

E A PERGUNTA DO DIA: Até quando vai perdurar a truculência e o abuso de autoridade dos fiscais da Seuma e das patrulhas da PM (BPMA) na hora da fiscalização em bares e restaurantes de Fortaleza???

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar