Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará 2018

2.302

Atualizado em 15/6/2018  

Polícia caça bandidos que mataram segurança no show de música sertaneja. Feridos serão ouvidos na DHPP

Segurança morto 2

Mário Kelvin de Queiroz, 26 anos, segurança baleado, acabou morrendo no IJF-Centro

Os dois seguranças baleados durante o show de música sertaneja e forró, realizado no último domingo, em Fortaleza, deverão ser ouvidos nas próximas horas pela Polícia Civil, através da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). As autoridades buscas pistas para identificar os homens que abriram fogo na entrada do Marina Park Hotel, no bairro Moura Brasil (Zona Central da Capital), onde ocorria o evento. Um dos seguranças da festa acabou morrendo com tiros no tórax e abdome.

O corpo do segurança Mário Kelvin Oliveira de Queiroz, 26 anos, passou por exame de necropsia na manhã desta segunda-feira (21) na Coordenadoria de Medicina Legal (Comel), da Perícia Forense do Ceará (Pefoce), e foi liberado para sepultamento. Ele ainda chegou a ser socorrido para o Instituto Doutor José Frota (IJF-Centro), mas não resistiu.

Já os seguranças Samuel de Oliveira Correia, 29 anos; e Manoel Alexandre Barbosa, 49, também feridos no incidente, passaram por cirurgia no IJF-Centro e deverão prestar depoimento à Polícia Civil logo que recebam alta médica. O primeiro foi atingido com um tiro na coxa esquerda, e o segundo com um tiro na perna direita. Os três seguranças foram conduzidos em ambulâncias do Samu para o IJF-Centro logo após o tiroteio que aconteceu por volta de 23h30, já próximo ao encerramento do show da dupla de cantores sertanejos Jorge e Mateus, e do forrozeiro Xand Aviões.

Bala

Segundo as investigações iniciais da Polícia, minutos antes do tiroteio, houve um incidente dentro do hotel e os seguranças colocaram ao menos três pessoas para fora. Uma delas seria uma mulher de um traficante. Houve ameaças de que iriam voltar ao local do show para um “acerto de contas” com os seguranças, o que realmente acabou acontecendo.

A Polícia também recebeu informações de que os atiradores, supostamente, seriam traficantes de drogas da favela Oitão Preto, localizada em frente ao hotel, na Avenida Presidente Castello Branco (Leste-Oeste). Essa informação, no entanto, ainda está sendo checada pela DHPP.

Câmeras instaladas na entrada do Marina Park Hotel poderão ajudar na identificação dos atiradores. Na tarde desta segunda-feira (21), inspetores da DHPP estiveram no local do incidente em busca de mais informações sobre o fato. Além dos dois homens baleados, deverão ser ouvidos também outros profissionais que estavam atuando na segurança do evento.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar