Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

315 em 19/2/2019  

Superlotação: presos se rebelam e destroem cadeia pública de Sobral

cadeia sobral

Uma rebelião destruiu por completo as dependências da cadeia pública da cidade de Sobral, na Região Norte do Estado, nesta segunda-feira (8). O prédio que tinha capacidade para abrir cerca de 153 detentos, estava com o dobro de sua capacidade. A superlotação levou os presos a iniciar o levante ainda pela manhã. Eles destruíram celas e queimaram colchões e lençóis. O motim somente foi controlado no começo da tarde com a chegada de reforços de Fortaleza àquela cidade a cerca de 230 quilômetros da Capital.

Segundo as primeiras investigações, a superlotação provocou, nos últimos meses, um clima de insatisfação e permanente tensão entre os cerca de 300 internos da cadeia pública, entre eles, cerca de 60 mulheres. Na manhã desta segunda-feira, a direção da Cadeia Pública chegou a se recusar a receber, pelo menos, três presos levados até ali pela Polícia Civil.

Com a superlotação, também surgiram conflitos entre grupos rivais dentro das celas, o que potencializou o descontentamento. O motim teve início por volta de 9 horas, com os presos arrancado grades e colocando fogo nos colchões. Em seguida, eles saíram para o pátio e ameaçaram uma fuga em massa, através da muralha e do telhado. A Polícia Militar imediatamente cercou o local.

Confusão

Patrulhas do 3º BPM (Sobral), com o apoio do Comando Tático Rural (Cotar) foram mobilizadas para conter os presos revoltosos. Muitos pediram transferência para outras unidades do Sistema Penitenciário. Logo, dezenas de parentes de presos apareceram no local, aumentando ainda mais a confusão. O Corpo de Bombeiros foi chamado para controlar o incêndio, mas o fogo só foi debelado por completo por volta das 13 horas.

Um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) foi deslocado de Fortaleza para auxiliar na contenção dos rebelados na cadeia pública. Somente com a chegada de mais reforços policiais à cidade, os presos decidiram terminar o motim.

No fim da tarde, a Justiça autorizou a transferência de parte dos internos para a Penitenciária Industrial Regional de Sobral (Pirs) e outros para unidades prisionais da Grande Fortaleza, entre elas, a Penitenciária de Pacatuba. O clima, porém, ainda é tenso. A Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) deverá instaurar um processo disciplinar para apurar o caso e identificar os responsáveis pelos danos ao patrimônio público.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar