Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

724 em 20/4/2019  

Começam as especulações sobre mudanças nos cargos de comando da Segurança Pública

Dutra - coronel 2Studart - coronel

Coronel Herlínio Dutra                                    Coronel Túlio Studart

Batista coronel 2solano - coronel 2

Coronel João Batista dos Santos                               Coronel Solano Austregésilo Telles

As especulações em torno das mudanças nos comandos setoriais da Segurança Pública no Ceará já começaram. Faltando pouco mais de 20 dias para Camilo Santana (PT) assumir o Governo do Estado, alguns nomes já despontam nos círculos das polícias Civil e Militar. O certo é que o futuro governador terá uma difícil missão nos próximos quatro anos; reduzir a níveis, pelo menos, toleráveis os atuais índices da criminalidade armada no Estado, em especial, os casos de assaltos (roubos) e, principalmente, homicídios. O ano de 2014 deverá “fechar” com aproximadamente 4,5 mil pessoas assassinadas em todo o Estado.

O principal desafio para os gestores da Segurança Pública, de reduzir a violência no Estado, passará, também, pelo restabelecimento da disciplina e da hierarquia na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros Militar, corporações que foram seriamente abaladas por diversos incidentes no período eleitoral recente, e que resultaram na abertura de vários procedimentos contra oficiais e praças na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGDOSPSP). Os militares correm o risco de serem demitidos das instituições.

Na campanha para chegar ao Palácio da Abolição, Camilo Santana apresentou suas propostas para melhorar a Segurança, entre elas, a ampliação do Batalhão de Rondas Intensivas e Ostensivas (BPRaio), redimensionamento da vigilância eletrônica em Fortaleza (com a ampliação do número de câmeras nas ruas), a implantação do programa “Abraça Ceará” (voltado para a prevenção e combate às drogas), mudanças no sistema de promoções nas organizações policiais e, consequentemente, melhoria de salários e de formação.

Nomes

Dentro do Sistema de Segurança Pública, as especulações já estão bem adiantadas. Nas últimas semanas, foram citados os nomes dos mais fortes “candidatos” aos principais cargos da área. Entre eles, o do próprio atual titular da SSPDS, delegado federal Servilho de Paiva, que poderia, assim permanecer no cargo com o compromisso de dar continuidade ao atual plano de redução da criminalidade, com base na sua experiência semelhante, e exitosa, no Estado de Pernambuco.

Contudo, outros nomes já foram citados, dentre eles, o do atual diretor-geral da Academia Estadual de Segurança Pública (Aesp), coronel PM Herlínio Dutra, que ganhou cacife após atuar como assistente militar do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará e galgar o comando do centro de formação de profissionais do setor, a Aesp.

O segundo nome que vem ganhando força para assumir o comando da SSPDS é do coronel Túlio Studart, que, nos últimos anos, comandou o Ronda do Quarteirão, a Polícia Rodoviária Estadual e, por último, assumiu o cargo de assistente militar na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará. A experiência de Studart no Ronda do Quarteirão e o propósito do governo de melhorar o programa reforçam as especulações em torno do nome do oficial.

Caso um dos dois coronéis seja, realmente, escolhido por Camilo Santana para assumir a chefia da SSPDS, esta será apenas a segunda vez que um oficial da PM assume tal cargo no Executivo. O primeiro, em toda a história da secular PM cearense, foi o coronel Francisco José Bezerra Rodrigues, que esteve no cargo por cerca de dois anos e oito meses. Bezerra foi o responsável pela maior reestruturação que a Corporação passou nos últimos 30 anos, quando elaborou a nova Lei de Organização Básica (LOB) da PM. A reforma possibilitou a criação de novos batalhões, novos comandos e possibilitou o aumento de efetivo, entre outras importantes melhorias e avanços.

Já para o Comando-Geral da Polícia Militar, pelo menos, dois nomes estão sendo cogitados nos bastidores da instituição. Um deles, o do atual comandante-geral adjunto, coronel Luiz Solano Austregésilo Telles, que foi o coordenador geral do Colégio da Polícia Militar do Ceará, instituição reconhecida nacionalmente pela sua eficiência educacional.

Outro nome citado para assumir o Comando da PM é o do coronel João Batista Bezerra dos Santos, um dos mais eficientes oficiais operacionais da corporação e que, atualmente, é o chefe do Comando do Policiamento da Capital (CPC). Batista já passou também pelos comandos do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e do Policiamento Metropolitano (CPM).

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar