Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

1.556 em 24/8/2019  

Presos fazem policial de refém e fogem armados de delegacia em Fortaleza

cadeia

A direção da Polícia Civil e a Corregedoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGDOSPSP) vão investigar, conjunta e simultaneamente, a fuga de oito presos que estavam custodiados na carceragem da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC), localizada ao lado da sede do Detran, na Avenida Godofredo Maciel, bairro Maraponga, na noite deste sábado (13). Os presos teriam serrado as grades das celas e, em seguida, rendido um policial civil, tomando sua pistola de calibre Ponto 40.

Após a fuga, o grupo se dividiu. Já na rua, parte dos foragidos roubou um carro e desapareceu. Até agora, nenhum dos oito detentos foi recapturado. Buscas policiais continuam com o auxílio da Coordenadoria de Inteligência (Coin).

O incidente ocorreu por volta de 19h30, quando a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) foi informada do caso e, imediatamente, mobilizou patrulhas do Comando Tático Motorizado (Cotam) e do Batalhão de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) para o local. Porém, quando o reforço policial chegou na Especializada, os fugitivos já estavam bem longe e não foram localizados.

O tenente PM Pacoal, do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), comandou uma operação de buscas que se estendeu por toda a noite de sábado e começo da madrugada deste domingo. Policiais Civis também estiveram no local da fuga, além de uma equipe da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce).

Conforme apurou o blogdofernandoribeiro.com.br., logo após escapar da delegacia, parte dos detentos seguiu em fugaa pé até a avenida Perimetral e ali tomou de assalto o veículo Santana de placas HUG-6595. O dono do automóvel contoque teve uma arma de fogo apontada em sua direção, provavelmente, a pistola roubada do inspetor da DRFVC.

Solução?

A fuga aconteceu apenas duas semanas após as autoridades das secretarias de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e de Justiça e Cidadania (Sejus) terem anunciado que a permanência de presos nas delegacias de Polícia Civil da Capital e sua Região Metropolitana seria a mais abreviada possível, não extrapolando as 48 horas desde a detenção dos suspeitos. Isto porque, naquela ocasião, foi inaugurado o Centro de Triagem e Observação Criminológica, em Caucaia, para onde passaram a ser levados todos aqueles detidos em flagrante delito ou por ordem da Justiça (prisões temporárias, preventiva ou por condenação).

Depois de uma análise minuciosa sobre o perfil de cada preso, este, então, é transferido do Centro de Triagem para uma unidade prisional da RMF mais adequada conforme sua condição de periculosidade e outros fatores. E todo esse processo seria feito de forma rápida, evitando a permanência do detido nas DPs.

Ainda de acordo com as autoridades, a medida seria uma saída para desafogar ou mesmo esvaziar os xadrezes das delegacias de Polícia da Capital e da zona metropolitana, que, até então, estavam abarrotados, com aproximadamente 800 presos provisórios.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar