Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2018

4.020 em 23/10/2018  

Polícia suspeita que dinheiro do tráfico financiava campanha de candidato na zona Leste de Fortaleza

Dinheiro muito 4

O dinheiro foi encontrado na casa de um homem que responde por tráfico e assassinato

A Polícia Civil e a Justiça Eleitoral vão investigar em conjunto com a Receita Federal a origem e a destinação do grande volume de dinheiro apreendido nesta sexta-feira (5) com um homem suspeito de comandar o tráfico de drogas em vários bairros da zona Leste de Fortaleza, como Vicente Pinzón, Serviluz, Cais do Porto e Castelo Encantado, no Grande Mucuripe. Há suspeitas de que tráfico estaria por trás da campanha política de um candidato com reduto eleitoral nas favelas da área.

O homem preso foi posto em liberdade logo após prestar depoimento, já que a Polícia Civil não encontrou provas de crime. No entanto, o dinheiro ficou apreendido e sua origem e destinação serão investigadas. O homem detido foi identificado como Francisco Odaíldo Facundo de Melo, 38 anos, conhecido por “Vaqueirinho”, que, comandaria o tráfico de drogas naquela região da cidade.

O suspeito foi detido por policiais militares do Batalhão de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) na manhã de sexta-feira. Os PMs faziam o patrulhamento diário nas ruas do Vicente Pinzón quando avistaram o homem apontado como o chefe do tráfico na região. Ao perceber a chegada dos policiais, “Vaqueirinho” correu e entrou em uma casa. A Polícia fez um cerco e ao entrar no imóvel encontrou vários sacos plásticos contendo milhares de notas de reais, dividas em maços, totalizando cerca de R$ 113 mil, dinheiro que, supostamente teria sido arrecadado na venda de drogas e que seria utilizado para a compra de votos por um candidato da região.

Lavagem???

Na delegacia do 9º DP (Vicente Pinzón), o suspeito alegou que o dinheiro era seu, oriundo de suas atividades que ele citou como aluguel de imóveis e barracas de venda de peixe e crustáceos na Beira-Mar. “Vaqueirinho” alegou que “prefere” guardar o dinheiro em casa a depositar em uma conta bancária.

A Polícia não encontrou drogas nem armas ou outro objeto ilícito na residência. Por conta disso, não houve provas ou indícios para que o suspeito fosse autuado em flagrante. “Vaqueirinho” é temido na região e já responde por assassinatos, tráfico de drogas e crime ambiental.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) um inquérito foi instaurado através de portaria e vai investigar a suspeita de crime de lavagem de dinheiro.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar