Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2018

4.020 em 23/10/2018  

Camilo terá mais quatro anos para tirar o Ceará do caos da violência

Intermitente piscandoIntermitente piscando Intermitente piscando

SIRENE ABERTA   

Fernando Ribeiro

Chacina

 

Não deu outra. No último debate na TV entre os candidatos ao governo do Ceará, o tema Segurança Pública foi o mais repisado. E o atual governador, Camilo Santana (PT) repetiu o tom do seu discurso ao ser abordado sobre os altos índices da criminalidade no estado. Repetiu que o Ceará sofre com um “problema nacional”. Pela enésima vez, atribuiu ao governo federal o estado de intranqüilidade no Ceará, pela presença das facções gerada pelo tráfico de drogas. Para ele, o governo federal negligencia na fiscalização das fronteiras, por onde entram os entorpecentes.

TÁ ELEITO!!!

Camilo acabou por não responder aos seus concorrentes a razão de até hoje não ter instalado os bloqueadores de sinal de telefone celular nos presídios. E esta falta de resposta vem sendo mantida sempre que ele é abordado sobre o tema. Repisa no fato de investido milhões na Segurança Pública, de ter expandido as ações do Batalhão Raio para o Interior e que chamou a Universidade Federal do Ceará para “dentro” da Secretaria da Segurança Pública. Montou um laboratório (???) para planejar estratégias de combate ao crime. Disse também que montou no Ceará o projeto “Spia” (quando na verdade tal projeto é da Polícia Rodoviária Federal). Sem alterar a voz e sem muitos argumentos, não respondeu aos adversários e, novamente, enrolou a população. Mas vai ser eleito, certamente.

QUEIJO SUÍÇO

A Cadeia Pública da cidade de Tianguá, na Serra da Ibiapaba, é o exemplo mais claro de o quanto anda o Sistema Penitenciário do Ceará. Está superlotada, sem nenhuma segurança e dominada por bandidos de facções. Dali, só não foge quem não quer. No intervalo de apenas três dias, duas fugas coletivas foram registradas na mesma unidade. No último sábado (29) escaparam 15 bandidos. Na terça-feira (2), mais nove. Os agentes penitenciários que ali são lotados fazem o que podem, mas não são suficientes em número para conter mais de 150 detentos. Nas demais cadeias públicas do Ceará a situação se repete. E o que dizer das CPPLs e dos presídios? Estes estão loteados pelas facções. Quem dá as ordens é o crime. A respeito das fugas, elas são tão constantes que a Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus) já nem mais se pronuncia sobre elas, nem mesmo através de notas à Imprensa. Virou rotina!

CARNIFICINA EM SETEMBRO

E o mês de setembro terminou com o registro de, nada menos, que 420 Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs). Foram 120 pessoas assassinadas na Capital, 109 na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), 98 no Interior Norte e mais 83 no Interior Sul. Nesta estatística estão incluídos os assassinatos registrados dentro das unidades do Sistema Penitenciário e as mortes decorrentes de intervenção policial (bandidos mortos em confrontos com a Polícia). Já a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou números menores, sustentando que ao logo dos 30 dias de setembro ocorreram “apenas” 376, contra 460 de setembro de 2017, portanto, uma suposta redução da ordem de 18 por cento. Nas ruas da Capital e na Região Metropolitana, os assassinatos “explodiram” no mês passado por conta do recrudescimento da guerra entre as facções.

VEXAME NA FACULDADE

Na noite da última quarta-feira (3), alunos, professores e demais funcionários da Faculdade Ateneu, localizada em Messejana, passaram por maus bocados. Dois bandidos armados invadiram as salas de aula da instituição de ensino universitário e fizeram um “arrastão”, roubando tudo o que encontraram nas mãos dos alunos e mestres. Com armas apontadas em sua direção, os estudantes tiveram que entregar o pouco que tinham, afinal de contas, estudante está sempre sem dinheiro. Depois de fazerem o “rapa”, os assaltantes fugiram tranquilamente. A faculdade não se pronunciou sobre o assunto. Os alunos entraram em desespero e os funcionários idem. Quando a Polícia finalmente chegou para atender à ocorrência, os bandidos já tinham dado no pé e estavam longe dali. Espera-se, agora, que as imagens dos criminosos sirvam para a Polícia botá-los na cadeia.

VERDE-OLIVA NAS RUAS

Cerca de dois mil militares do Exército Brasileiro estarão nas ruas da Grande Fortaleza nestas eleições. A Operação do Exército Brasileiro começa ainda no sábado, quando da guarda dos locais de votação. A tropa federal estará aposta durante todo o domingo na Capital e nas cidades de Maracanaú e Caucaia para garantir o direito do eleitor de votar livremente, sem imposições ou pressões. Outra parte do contingente federal será deslocada para Sobral e Juazeiro do Norte, onde também é preocupante a corrida eleitoral. O verde-oliva do Exército Brasileiro vai está presente nas eleições no Ceará neste primeiro turno a pedido da Justiça Eleitoral. Juízes eleitorais encaminharam o pleito ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e este encaminhou a demanda ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, que acatou o pedido. Já a Polícia Militar vai cuidar do pleito nos demais Municípios cearense, sob os olhos do Ministério Público Eleitoral. Quem também promete está fiscalizando tudo é a Polícia Federal (PF).

PASSOS DE TARTARUGA

Tão logo passe a eleição (1º Turno) o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará vai retomar as investigações sobre a venda de alvará de soltura para um réu preso em Fortaleza. Segundo o TJCE, já na segunda-feira próxima (8) Será realizada uma audiência na 9ª Vara Criminal, no Fórum Clóvis Beviláqua, para dar andamento ao processo apuratório. São suspeitos de terem se envolvido na negociata a servidora pública Rosângela Pinto Peixoto e o advogado José Valdir Castro Moura. No entanto, o que chama a atenção neste episódio é que a suposta venda do alvará de soltura ocorreu em 2016. Já são três anos do caso e até agora nada foi decidido no processo. Na época, Rosângela era a diretora da secretaria da 14ª Vara Criminal. O alvará teria sido “vendido” por R$ 2 mil. E porque tanta demora nesta apuração? Eis uma das razões para que o Conselho Nacional de Justiça considere o Judiciário do Ceará um dos piores na resolução dos processos.

E TEM MAIS!!!

* Retratos da triste realidade na segurança do Ceará. Virou comum a localização de corpos esquartejados, decapitados, carbonizados ou apresentando outras mutilações. Somente no mês de setembro, foram 11 casos registrados, a maioria na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

* Guarda Municipal de Pacajus comprou, recentemente, um lote de armas para o enfrentamento à violência que domina o Município. Foram adquiridas 20 pistolas de calibre 380, cujo valor global chegou a R$ 81,5 mil. Resta saber se os guardas foram devidamente treinados para usá-las.

* Os assassinatos de mulheres no Ceará não têm trégua. Em setembro último foram 40 crimes do gênero, sendo a maioria praticada na Capital. Na maioria dos homicídios, as vítimas estariam sendo ameaçadas por bandidos de facções criminosas. Mas há também os casos de feminicídio (passional).

* Cerca de R$ 113 mil em espécie foram apreendidos pela Polícia na casa de um traficante de drogas no Grande Mucuripe. A suspeita é que o dinheiro seria usado para bancar a campanha de um candidato a deputado que tem seu reduto eleitoral no Vicente Pinzón. Receita Federal nele!

* Crimes bárbaros continuam desafiando a Segurança Pública no Ceará, Na quarta-feira, o corpo de um homem foi encontrado esquartejado em Caucaia. Neste sábado (6), o cadáver despedaçado de um garoto de 15 anos foi deixado dentro de um saco, no meio da rua, em Pacajus.

* E A PERGUNTA DO DIA: Ainda tem sentido a tal de “Lei Seca” nas eleições???

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar