Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2020

2.157 em 19/06/2020

Polícia fará segunda reconstituição na casa onde menino foi envenenado

Subtenente Francilewdo

O subtenente nega ter envenenado o filho e acusa a ex-esposa

A Polícia Civil deverá realizar, ainda hoje (27), uma nova reconstituição na residência onde o menino Lewdo Ricardo Coelho Severino, de apenas 9 anos de idade, morreu depois de ter sido envenenando com “chumbinho”, em novembro do ano passado. Esta será a segunda vez que a Polícia, junto a Perícia Forense do Estado (Pefoce), vai até o local tentar dirimir dúvidas para esclarecer o misterioso crime. Os pais do menino trocam acusações sobre a autoria do assassinato da criança.

O caso ocorreu no dia 11 de novembro. O garoto foi encontrado morto e seu pai, o subtenente do Exército Brasileiro Francilewdo Bezerra Severino, 45 anos, achado desacordado. Ele teria também ingerido o veneno e passou 15 dias em coma no Hospital Militar. A mãe do menino acusou o pai pelo assassinato e disse que também foi vítima de agressão por parte do marido.

Mas, ao sair do coma, o militar acusou a mulher de matar o filho e de também tentar assassiná-lo, misturando o veneno de matar rato a um suco.

Até agora, o crime está sem solução. A Polícia aguardou o subtenente sair do coma para ouvi-lo. Ele foi enfático ao acusar a então esposa pelo crime. A mulher, Cristiane Renata Coelho Severino, insiste na sua versão. O delegado Wilder Brito Sobreira, titular do 16º DP (Dias Macedo) investiga o crime e ainda aguarda a conclusão de laudos periciais sobre o fato.

Nega

O casal residia em uma casa localizada no Conjunto Napoleão Viana, no bairro Dias Macedo. O crime chocou os moradores daquela comunidade e teve ampla repercussão na imprensa local.

No dia em que foi prestar depoimento na delegacia, a mãe da criança foi hostilizada pelos vizinhos e teve que ser escoltada pela Polícia Militar para não sofrer agressões físicas.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar