Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2020

2.157 em 19/06/2020

Ex-esposa e funcionário são suspeitos de assassinar empresário a facadas em apartamento na Vila União

Rivadálvio - empresário morto 005

O empresário foi morto com 17 facadas e seu cospo encontrado pela empregada doméstica

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) está próxima de elucidar o mistério em torno da morte do empresário Antônio Rivadálvio Teixeira Moreira, 41 anos, assassinado, a facadas, dentro de seu apartamento, no bairro Vila União, em Fortaleza, na manhã do último sábado (27). A ex-esposa da vítima, Claudênia da Silva Rodrigues,  e um funcionário da empresa de Rivadálvio, e que manteve um caso com a mulher dele, estão na mira da Polícia. Os dois são os principais suspeitos do crime.

O corpo de Rivadálvio, ou “Riva”, como era conhecido, foi encontrado por volta de 7h15 do sábado por uma empregada doméstica. A funcionária chegou para dar início ao trabalho e encontrou dois filhos do empresário em pânico. Foi então, até o quarto e se deparou com o patrão morto em meio a uma poça de sangue ao lado da cama. Uma faca estava cravada no seu peito. A equipe da Perícia Forense (Pefoce) que esteve ali comprovou que o homem recebeu, pelo menos, 17 golpes e travou luta corporal com o assassino.

O que levou a Polícia a levantar suspeitas sobre a ex-esposa do empresário foi o fato de ela ter ido ao Condomínio Jardim Opaia (na Avenida Luciano Carneiro), buscar dois dos quatro filhos do casal minutos antes do corpo dde “Riva! ele ser encontrado. Além disso, as câmeras do residencial filmaram quando o carro da mulher entra ali e é seguido por um motoqueiro que está de capacete e colete, mas usa uma camiseta com a logomarca da empresa de dedetização industrial e comercial de “Riva”. Tanto o carro da vítima como o moto entram com facilidade no prédio, levando a crer que o porteiro já conhecia as duas pessoas que conduziam os dois veículos.

A Polícia descartou a hipótese de um latrocínio (roubo seguido de morte), pois nada foi roubado do apartamento. Sobre um móvel próximo onde estava o corpo do empresário foi encontrada a carteira dele com cerca de R$ 2.600,00 em espécie, além de vários cheques.

Separados e inimigos

Havia uma desavença entre o empresário e sua ex-esposa. “Riva” já havia prestado queixa no 25º DP (Aeroporto) afirmando que sua Claudênia tentara matá-lo envenenado com “chumbinho”. Ela, por sua, vez, também procurou a Polícia para se queixar de sofrer espancamentos do então marido e informou na DHPP que obteve na Justiça uma medida protetiva para que ele não se aproximasse dela. Os dois estavam separados há cerca de quatro anos, mas nos finais de semana a mulher ia ao apartamento buscar os filhos.

O funcionário de “Riva” que teve um caso com a mulher do empresário, permaneceu trabalhando na empresa dele mesmo depois que o romance foi descoberto. Hoje, segundo a mulher, eles não namoram mais.

Desde a noite de segunda-feira, a equipe da DHPP está tomando depoimentos dos familiares do casal e encaminhou à Perícia Forense a CPU de um computador onde podem está gravadas as cenas do crime ou a entrada e saída do criminoso na residência, já que no apartamento há várias câmeras de segurança que “Riva” mandara instalar, pois costumava fazer o pagamento de salários de seus funcionários ali mesmo.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar