Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

1.880 em 18/10/2019  

Políticos cearenses estavam ligados a traficante chefe de facção em Fortaleza

Chinês

O traficante comandava a venda de drogas na zona Leste de Fortaleza 

Três políticos cearenses, entre eles, um ex-prefeito, estão na lista dos investigados por manterem relação com um bandido apontado como um dos chefes da facção criminosa Guardiões do Estado (GDE). Os nomes deles vieram à tona após o “vazamento” de uma investigação sigilosa que vinha sendo feita pela Polícia Civil, através da sua Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Deaco).

O bandido investigado trata-se de Marcos da Silva Pereira, conhecido como “Marquim Chimês”, um dos líderes da facção cearense GDE e, de acordo com a Polícia, o responsável pelo tráfico de drogas em uma comunidade do bairro Papicu, na zona leste de Fortaleza.

Ao ser capturado em 19 de setembro do ano passado, “Maquim” tentou se desfazer do seu celular enquanto era perseguido por uma patrulha da Polícia Militar. Ao ser abordado já no Município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, ele portava o aparelho (danificado) e cerca de R$ 18,5 mil em espécie.

Nomes

A PM entregou o celular à Polícia Civil, que, por sua vez, pediu autorização à Justiça para rastrear as conversas do bandido através do aplicativo WhatsApp.

Na varredura feita pela Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) e pelo Departamento de Inteligência Policial (DIP) apareceram os nomes e diálogos do criminoso com o atual prefeito do Município de Palhano (a 153Km de Fortaleza), Ivanildo Nunes da Silva, o “Dinho Nunes” (PT); com o ex-secretário-adjunto de Esportes do Estado do Ceará, Marcos Antonio Lage de Sousa; e com o empresário José Wherter Nascimento da Silva, o “Werther Móveis”, que foi candidato a vereador por Fortaleza, em 2012, mas que não conseguiu se eleger.

Os diálogos do traficante com os três políticos estão sendo analisados pela Polícia que busca saber do grau de envolvimento deles, ou não, com as atividades criminosas do bandido preso. Já foi descoberto que “Marquim” pedia dinheiro aos três em nome da “comunidade” do bairro Papicu onde ele comandava o tráfico de drogas.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar