Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

315 em 19/2/2019  

Em ritmo de pré-candidato a prefeito, deputado Capitão Wagner faz críticas severas à gestão municipal de Fortaleza

quarta3 012

Em pronunciamento transmitido pela TV Assembleia, na manhã desta quarta-feira, Wagner disse que Capital cearense está "abandonada" pela gestão de Roberto Cláudio

“O lixo tomou conta de Fortaleza e isso não é privilégio da periferia. O lixo está em todo canto desta cidade,  e a Prefeitura resolveu jogar a responsabilidade da situação para o cidadão. Fortaleza está totalmente abandonada”.

A declaração partiu, nesta quarta-feira (19) do deputado estadual Capitão Wagner (PR), na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado. Durante seu discurso de aproximadamente 15 minutos, o parlamentar não poupou críticas à Prefeitura de Fortaleza e também alfinetou a gestão da Segurança Pública estadual.

Segundo Wagner, a sujeira se espalhou por toda a Capital e a Prefeitura reduziu o número de caçambas responsáveis pelo recolhimento do lixo na cidade.  Citou áreas que estão totalmente abandonadas pelo Poder Público, como a Praia de Iracema, onde, segundo ele, “o bairro virou ponto de encontro de traficantes e viciados de drogas e de prostituição”.

Guardas

Wagner também criticou a decisão da Prefeitura de Fortaleza de transferir da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) para a Guarda Municipal de Fortaleza parte da fiscalização no trânsito na Capital cearense. Ele explica que o então candidato a prefeito, Roberto Cláudio, prometeu em sua campanha política triplicar o efetivo da Guarda. No entanto, contratou até agora um número bem menor. Dos 356 novos guardas municipais recentemente formados, parte vai ser desviada para atuar no trânsito.

“Esse efetivo deveria estar na segurança das escolas e das praças, e não autuando em questões de trânsito. Deveria proteger alunos e professores nas escolas, pois são ameaçados, agredidos. Deveria ser treinados para atuar na segurança”.

Já nas críticas à Segurança Pública Estadual, o deputado-capitão citou mais uma vez a compra pelo Estado dos patinetes  elétricos, conhecidos por  “Segways”, que desapareceram da Avenida Beira-Mar, onde eram utilizados pelos policiais militares para o patrulhamento do calçadão.

Os equipamentos (dez, no total), foram adquiridos em 2008 pelo então governador Cid Gomes, ao preço de R$ 28,5 mil cada um, o equivalente a 10 salários líquidos de um policial militar em início de carreira, na época. O desembolso nos cofres do Estado foi de R$ 285,5 mil. 

Comentários   

 
0 #1 Miguel 21-08-2015 17:46
Aqui está a guerra em todas as estradas do Fortaleza, com uma média de 11 mortes por dia. E prostituion existe por toda parte na cidade. E este homem está preocupado com o lixo e prostituição na Praia de Iracema? Fortaleza tem verdadeiramente outras questões, mais importante!
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar