Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2018

4.533 em 7/12/2018  

Quadrilha armada com fuzil planejava roubar meio milhão de reais de uma agência lotérica

FAVELA 3 fAVELA 1 fAVELA 2

Os criminosos presos possuem longas fichas criminais por assassinatos, tráfico e outros delitos

FAVELA 6

Um fuzil de calibre 7.62, além de muita munição e rádios comunicadores foram apreendidos

FAVELA 4

Fardas falsas da Polícia Civil e coletes encontrados no esconderijo do bando, no Bom Jardim

FAVELA 5

Dezenas de placas de veículos foram apreendidas. Serviriam para a clonagem de carros roubados

Uma operação realizada na tarde desta quinta-feira (4) numa das áreas mais violentas de Fortaleza, o Grande Bom Jardim, culminou na prisão de três bandidos acusados de comandar as ações criminosas de uma facção na zona Sul da Capita. Tráfico de drogas, assaltos, assassinatos, roubos e clonagens de veículos e resgates de presos vinham praticados pelo bando. O chefe da quadrilha tinha em seu arsenal um fuzil de calibre 7.62 e muita munição, além de fardas falsas da Polícia Civil.

A operação foi policiais militares da Força Tática do 17º Batalhão da PM a partir de uma ocorrência de assassinato ocorrido por volta de 16h20 na Rua João Correia, na Granja Lisboa. No local do homicídio, os policiais receberam informações sobre as características de dois carros que teriam sido usados na fuga dos assassinos, um deles seria um Siena prata. Logo, foi montado um cerco na área e o veículo acabou sendo localizado pelos policiais. Na tentativa de abordagem os ocupantes empreenderam fuga e foram perseguidos até uma favela no Bom Jardim, onde o carro foi interceptado. Os criminosos desceram do automóvel e invadiram uma casa na Rua Mateus Lemos, na tentativa de escapar do cerco, mas não conseguiram.

Três bandidos com extensas fichas criminais foram capturados e, logo, os policiais decidiram aprofundar a investigação, descobrindo que entre os suspeitos detidos estava o chefe da quadrilha. Trata-se de Francisco Antônio Azevedo Fernandes, 32 anos, conhecido por “Padeirinho”, que, no ano passado, trocou tiros com a Polícia, ficou ferido e foi resgatado do hospital “Frotinha” de Parangaba por seus comparsas fardados. Na ocasião, dois policiais que faziam a escolta do paciente foram rendidos e tiveram que entregar suas armas e os coletes à prova de balas da PM.

Com a prisão de “Padeirinho”, os comparsas dele também foram identificados. José Juscelino Alves Cardoso Filho, 22 anos; e Antônio Maurício Alves da Silva, 29, levaram os policiais a endereços que funcionavam como esconderijos do bando.

Numa casa situada na Favela São Francisco, a Polícia encontrou um fuzil de calibre 7.62, muita munição, fardamentos de empresas de segurança, falsas fardas da Polícia Civil, distintivos da corporação, rádios-comunicadores, balaclavas, bloqueadores de sinal de rastreamento de veículos e cargas, além de uma grande quantidade de placas de automóveis, que seriam usadas na clonagem dos carros roubados pela quadrilha.

Plano frustrado

Segundo apurou a Polícia, a quadrilha estava preparada para, na manhã desta sexta-feira (5) assaltar uma agência lotérica na cidade de Maranguape, de onde poderia roubar cerca de R$ 500 mil. O plano, no entanto, acabou frustrado graças à intervenção da Polícia Militar.

A Polícia também descobriu que “Padeirinho” é o suspeito de ter comandado uma chacina ocorrida em Maranguape, na madrugada do dia 8 de janeiro último, quando quatro homens foram executados dentro de uma casa, na localidade de Serra Pelada, na zona rural de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O crime teria sido um “acerto de contas” entre facções rivais.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar