Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará 2017

4.941

Atualizado em 18/12/2017  

Secretário da Segurança comanda operação contra o tráfico de drogas e diz que "não foi um belo dia para vagabundo"

Secretário na operação

Secretário André Costa (de óculos) comandou pessoalmente a operação na Jurema/Caucaia

“Hoje não foi um belo dia para vagabundo”.  A frase é do secretário da Segurança Pública e Defesa Social, delegado federal André Costa, ao comentar em sua página no facebook o resultado de uma operação desencadeada no começo da manhã desta quarta-feira (22), no Distrito de Jurema, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. Além do efetivo à pé e em viaturas, a Polícia contou com o apoio de um helicóptero durante as incursões.

Costa participou pessoalmente da ação que cumpriu mandados coletivos de busca e apreensão em diversos endereços daquela comunidade. Batizada de “Operação Rei do Camarote”, a ação policial resultou na prisão de, pelo menos, cinco pessoas, acusadas de envolvimento em crimes diversos como tráfico de drogas e assassinato.

 Também foram apreendidas armas de fogo (revólveres e pistolas), drogas e cerca de R$ 70 mil em espécie que estavam na casa de traficante de drogas apontado como chefe do crime na região. Mesmo estando recolhido em um presídio da RMF, Jéfferson Luan de Oliveira continuava chefiando os negócios do tráfico e ordenando execuções sumárias na Jurema.

Prisões

Conforme as autoridades, após um levantamento de Inteligência, foram localizados os endereços onde os traficantes vendiam as drogas.  À pedido da Polícia Civil e com o parecer favorável do Ministério Público do Estado (MPE), a Justiça expediu os mandados de busca e apreensão.

Os cinco detidos – três por tráfico de drogas e dois por suspeita de assassinatos – foram encaminhados ao 18º DP (Jurema), entre eles, o traficante e homicida Kleuton da Silva Barbosa.

A operação teve também a presença do comandante-geral da PM coronel Ronaldo Viana; e do delegado-geral da Polícia Civil, Everardo Lima. Cerca de 220 policiais civis e militares, bombeiros militares e peritos criminais formaram o contingente terrestre, que teve o apoio de um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer).

Segundo as autoridades, a denominação de “Rei do Camarote” se refere a forma como os chefes do tráfico agiam, ordenando a prática do crime sem ao menos se levantar de onde estavam.