Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará 2017

4.572

Atualizado em 23/11/2017  

Quadrilha invade velório e ateia fogo no corpo de bandido suspeito de matar PM do Raio

Velório 1

O corpo do assaltante ficou semicarbonizado após o ataque de um grupo encapuzado 

Um grupo de bandidos armados e encapuzados invadiu o velório de um assaltante, na tarde desta segunda-feira (17) e incendiou o caixão com o corpo dentro. O homem que havia morrido era suspeito de participação no assassinato de um policial militar no último fim de semana.

O fato ocorreu na cidade de Morada Nova (a 163Km de Fortaleza), onde o corpo do bandido, identificado como Daniel Amaro da Silva, 19 anos, o “Daniel do Prourb”, era velado na residência de seus familiares, no bairro Divino Espírito Santo. Na noite de domingo (16), ele tombou morto numa troca de tiros com policiais militares na  comunidade do Alto Tiradentes.

“Daniel do Prourb” era considerado de alta periculosidade, assaltante e foragido da  Justiça, além de suspeito de ter participado do tiroteio dentro de um clube de forró, na localidade Capim Grosso, na zona rural do Município de Russas, na madrugada de domingo. No tiroteio, o soldado PM Menandro Cavalcante Nunes, 33 anos, tombou sem vida. Ele era destacado na Companhia do Batalhão Raio (BPRaio), da cidade de Russas,  e estava de folga.

Desde o momento do tiroteio, em que morreram também dois homens identificados apenas por “Preto” e “Marcão”, além de um jovem, vítima de bala pedida, a Polícia fazia diligências para capturar o restante do bando. No domingo à noite, surgiu a informação de que “Daniel do Prourb” estaria escondido na periferia de Morada Nova e, logo, foi montado um cerco policial.  Ocorreu um novo confronto a tiros e o bandido foi ferido mortalmente.

Fogo

Conforme o relato de familiares de Daniel, a casa onde acontecia o velório foi invadida por vários homens encapuzados que chegaram ali em um carro  de placas não anotadas. Eles mandaram que as pessoas se retirassem da residência. Em seguida, derramaram gasolina sobre o caixão e atearam fogo.  Após a fuga do bando, os parentes retornaram para a casa e constataram que o corpo de Daniel estava parcialmente carbonizado.