Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Portuguese English French Italian Japanese Spanish

Após rebelião, clima é de "guerra" entre grupos de detentos da CPPL 2

GDE 1

Bandidos da GDE teriam ordenado a rebelião na CPPL 2 e isso gerou atrito com a "Massa"

O clima é de tensão e ameaças de morte dentro de um dos presídios do Complexo Penitenciário de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).  Trata-se da Casa de Privação Provisória da Liberdade Professor Clodoaldo Pinto, a CPPL 2. Detentos que se autodenominam integrantes da “Massa”, isto é, que não fazem parte de nenhuma facção, querem expulsar dali os membros da organização criminosa Guardiões do Estado (GDE).

As ameaças de um confronto entre os presidiários vieram à tona após uma rebelião que durou cerca de 18 horas, entre terça e quarta-feira, e que só acabou quando a tropa do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) foi autorizada a entrar no presídio e dominar os revoltosos.

Ontem, através das redes sociais, presos da “Massa” postaram áudios em que revelam a situação de tensão na cadeia. O motivo do entrevero entre os dois grupos não foi revelado. No entanto, nos áudios fica clara a tensão na unidade penal.  Por conta disso, a segurança externa foi reforçada pela PM e internamente pelo Grupo de Apoio Penitenciário (GAP).

Transferências

O motim teria sido gerado exatamente por conta de boatos acerca de possíveis transferências que estariam para ser realizadas naquela unidade, em decorrência da exigência que a “Massa” estaria fazendo, isto é, retirar da CPPL 2 os membros da GDE.

Uma autoridade da Justiça, responsável pela fiscalização do cumprimento de penas nas unidades da Grande Fortaleza, informou que na quarta-feira passada o clima foi de muita tensão dentro do presídio e que, após a atuação da PM, a situação parecia ter voltado à normalidade.

Hoje, estão confinados na CPPL 2 cerca de 1.800 presos, muitos transferidos do Presídio do Carrapicho, em Caucaia, na RMF.

Já a Polícia Militar informou que reforçou a segurança nas unidades CPPL 2 e CPPL 3 com patrulhas do BPChoque para evitar novas fugas e motins.  Na CPPL 3, cerca de 100 presos conseguiram fugir desde o início do ano. A fuga mais recente ocorreu no fim de semana passado. A Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus) confirmou que 21 detentos escaparam através de um túnel. Uma semana antes, outros 10 também fugiram pelas mesmas escavações.