Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro Mortes no Ceará 2017

4.060
Atualizado em 23/10/2017

Presos em Itarema mais dois suspeitos de esquema criminoso montado para roubar dinheiro público

Algemado

As prisões foram efetuadas na manhã desta terça-feira por ordem judicial e a pedido do Gaeco

Câmara de Itarema

A Câmara se tornou palco da atuação de uma quadrilha. Oito dos 13 vereadores já estão presos 

O Município de Itarema, localizado no Litoral Norte do Estado (a 210Km de Fortaleza), voltou a ser alvo de uma ação do Ministério Público Estadual (MP-CE) e das polícias Civil e Militar. Na manhã desta terça-feira foi deflagrada a terceira etapa da “Operação Fantasma”, que tem por objetivo a desarticulação de uma quadrilha que se instalou na Câmara Municipal para desviar recursos públicos. Foram cumpridos dois mandados de prisão temporária, além de três de busca e apreensão.

O contador da Prefeitura Municipal de Itarema, Francisco Willamy de Vasconcelos Silveira (e filho do ex-presidente da Câmara Municipal, João Vildes da Silveira, que se encontra preso preventivamente), e Francisco Ciro de Maria, foram detidos pela Polícia num cerco em conjunto com o Grupo de Atuação especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Segundo as autoridades, ambos estão envolvidos com o esquema fraudulento de contratação de servidores “fantasma” na Prefeitura.

Em relação aos mandados de busca e apreensão, um deles foi cumprido pelos policiais civis e militares e promotores de Justiça  na residência de Antônio Sérgio de Sousa Quinderé, que também foi detido por meio de um mandado judicial de condução coercitiva. Ele é servidor da Secretaria de Controle Interno da Prefeitura Municipal de Itaitinga e suspeito de fazer parte da quadrilha.

Fases

Duas etapas da mesma operação já haviam sido realizadas pelo MP em Itarema. A primeira, em abril deste ano, quando foram iniciadas as investigações sobre o bando, quando uma pessoa descobriu que seu nome foi usado indevidamente para vínculo contratual como servidora da Câmara Municipal. Por conta disso, a vítima foi prejudicada ao requere um benefício previdenciário.

No decorrer da investigação ficou evidenciado que um esquema de contratação de funcionários “fantasmas” foi colocado em prática na Câmara. Na segunda fase da operação, realizada no dia 28 de junho último, nove pessoas foram presas preventivamente. Além disso, cumpridos 19 mandados de busca e apreensão e mais 32 de condução coercitiva. Entre os nove presos, estão oito dos 13 vereadores do Município de Itarema.