Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará 2018

2.779

Atualizado em 20/7/2018  

Escândalo envolvendo policiais da Denarc parece não ter abalado prestígio do secretário André Costa

Intermitente piscandoIntermitente piscando Intermitente piscando

SIRENE ABERTA Fernando Ribeiro

André Costa 400

Mais um escândalo atinge a Segurança Pública do Ceará  com a operação desencadeada pela Polícia Federal  no âmbito da Polícia Civil, na manhã da última quarta-feira (6). Um suposto esquema de extorsão a traficantes foi desmantelado após a deleção premiada ao Ministério Público federal (MPF) feita de um português preso,  duas vezes em Fortaleza, em um ano, acusado de vender anabolizantes importados. Três delegados13 inspetores acabaram se tornando alvos da investigação federal. A maioria acabou afastada do cargo pelo prazo de 90 dias.  Todos foram conduzidos coercitivamente à sede da PF. Foram acordados em suas casas  pelos agentes federais que tinham em mãos os mandados assinados pelo juiz Danilo Dias Vasconcelos de Almeida.  A opinião pública ficou estarrecida. Não é para menos, já que a extorsão citada estaria sendo praticada exatamente pelos agentes que eram os responsáveis por combater o tráfico de drogas: todos estavam lotados na Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas, a DCTD, ou Narcóticos (Denarc).

O escândalo só não abalou o secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), delegado federal André Costa, que, certamente, sabia da investigação em curso feita pelos colegas de sua instituição, a PF.  Na entrevista coletiva sobre a operação, ele se limitou a afirmar que da DCTD existem muitos outros profissionais e apenas uma parte do efetivo foi alvo da ação federal. Já a defesa dos policiais investigados alega que não há provas ou, ao menos, indícios suficientes para que eles fossem alvos da ação da PF. O que teria acontecido seriam “equívocos” ou “erros de interpretação” na análise do material colhido na apuração.

O fato é que a PF, com a devida autorização da Justiça Federal e parecer favorável do MPF, quebrou o sigilo telefônico dos investigados, que passara a ser “escutados”. Houve também acompanhamento à distância e colheita de provas através de monitoramento eletrônico (vídeos).  A Justiça admite que as provas ainda são poucas e o que há, na verdade, são “indícios razoáveis da participação dos investigados em infração penal”, daí ter autorizado a operação para o recolhimento de celulares e computadores que poderão descortinar a suposta quadrilha.

CASO FRANÇA DOIS???

O que verdadeiramente a sociedade clama é que, se necessário, a Polícia corte a sua própria carne, tirando das suas fileiras aqueles que estão lá unicamente para delinqüir, tira proveito e vantagens do cargo, praticando desvios de função e enriquecendo ilicitamente. É necessária uma “limpeza” radical nos quadros da Polícia, para extirpar a banda podre e valorizar os bons profissionais. Mas é preciso também que a investigação seja forte e  robusta na apresentação das provas contra aqueles que são bandidos travestidos de policiais. O que não ser deseja é a repetição do “Caso França”, fato semelhante ocorrido nos anos 90 em que um agente (policial França) foi preso fazendo extorsão e decidiu incriminar meio mundo de policiais civis e militares. Nada foi provado.  França sumiu do Ceará deixando para trás muitos honrados profissionais e pais de família prejudicados e com a imagem maculada de forma definitiva.

PMPU GERA EXPECTATIVA

É com expectativa e otimismo que a população de Fortaleza aguarda o lançamento do Plano Municipal de proteção Urbana, o PMPU, que chega em boa hora. Trata-se de um projeto da Prefeitura Municipal de Fortaleza que vai atuar na segurança das comunidades mais carentes e mais violentas da Capital cearense. Até o fim deste mês, as duas primeiras tapas do projeto começam a funcionar nos bairros Jangurussu e Barra do Ceará. 

O trabalho será conjunto da Guarda Municipal de Fortaleza com a Polícia Militar. Em cada comunidade será erguida uma torre com proteção blindada. Ali trabalharão GMs e PMs em parceria. Eles controlarão o videomonitoramento de cada área, composto por 40 câmeras de rua, além do uso de drones. Na parte de efetivo, haverá patrulhamento das ruas dividido em três perímetros a parte da torre. No primário, guardas e PMs farão o patrulhamento à pé e em bicicletas. No secundário, serão utilizadas motocicletas (ao estilo do Raio). E no terciário, viaturas da Guarda Municipal. O projeto é pioneiro no Brasil e de iniciativa do vice-prefeito de Fortaleza, Moroni Bing Torgan, experiente no assunto, pois é delegado da Polícia Federal e ex-secretário da Segurança Pública.

A EXPERIÊNCIA DE MORONI

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT) delegou ao seu vice a tarefa de conduzir o projeto. Tem confiança e sabe que Moroni é um expert no assunto. Na sua administração na Secretaria da Segurança Pública do Ceará o combate às drogas e à pistolagem ficou marcado positivamente. Agora, na Vice-Prefeitura, Torgan mais vez dará sua contribuição profissional para aplacar a violência que hoje domina o estado. O PMPU será instalado em todos aqueles bairros que apresentam, atualmente, altos índices de assassinatos. Os dois primeiros a serem beneficiados já estão recebendo as obras de construção das torres. O trabalho já está prestes de terminar. Na Praça do Jangurussu, ao lado do Cuca; e na comunidade Goiabeiras, ao lado da Areninha, na Barra do Ceará, as torres darão o pontapé do PMPU em Fortaleza. Depois, virão na sequência as construções na Vila Velha e no Edson Queiroz. Até o fim de 2018, deverão ser até 20 bairros contemplados.

PF VAI TREINAR  AGENTES

Para assegurar a proteção dos agentes que trabalharão no PMPU, a Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) e a Polícia Federal assinaram o convênio autorizando aos guardas municipais o uso de armas de fogo. Os profissionais passarão por um treinamento que será dado pela própria PF e pela Polícia Militar. Haverá também avaliação psicológica e outros procedimentos necessários para o uso do armamento. A categoria dos guardas municipais saudou a gestão pelo atendimento a esta reivindicação antiga.  Fortaleza, assim, passa a ser o segundo Município cearense a contar com guardas municipais utilizando armas de fogo no trabalho. O primeiro foi Maracanaú e até agora não foi registrado nenhum incidente. O secretário de Segurança Cidadã de Fortaleza, Antônio Azevedo, garante que o treinamento que está sendo dado á tropa segue o que determina o Estatuto do Desarmamento. Os agentes passarão por um treinamento de armamento e tiro com carga horária de 100 horas/aula.

LEI ASSEGURA

No dia 11 de agosto de 2014, em edição extraordinária do Diário Oficial da União, foi publicada a lei que permite porte de arma de fogo por guardas municipais, sancionada (no dia 8) pela então presidente Dilma Rousseff. “Aos guardas municipais é autorizado o porte de arma de fogo, conforme previsto em lei”, diz o texto oficial. Estabelece, porém, que o direito pode ser suspenso “em razão de restrição médica, decisão judicial ou justificativa da adoção da medida pelo respectivo dirigente”. De acordo com a regra, além da segurança patrimonial, estabelecida pelo artigo 144 da Constituição Federal, as guardas terão poder de polícia. Elas poderão atuar na proteção da população, no patrulhamento preventivo, no desenvolvimento de ações de prevenção primária à violência, em grandes eventos e na proteção de autoridades, bem como em ações conjuntas com os demais órgãos de defesa civil.

ASSASSINATOS COLETIVOS

Somente  no mês de novembro, 24 duplos homicídios foram registrados no Ceará, sendo oito na Capital (nos bairros Cais do Porto, Aerolândia, Mondubim, Jardim das Oliveiras, Sapiranga-Coité, Jardim Guanabara, Dendê e Vila Manuel Sátiro) e quatro na Região Metropolitana de Fortaleza (Conjunto Jereissati/Maracanaú, Primavera/Caucaia, Itambé/Caucaia e Capuã/Caucaia). Ocorreram, ainda,  sete duplos assassinatos na região do no Interior Norte (nos Municípios de Itapajé, Varjota, Barreira, Sobral, Tamboril, Guaraciaba do Norte e Nova Russas) e outros quatro no Interior Sul (nos Municípios de Juazeiro do Norte, Acopiara, Barbalha e Pedra Branca).  Também ocorreu um triplo assassinato no Município de Horizonte, no dia 4  último, quando um homem adulto e dois adolescentes foram executados sumariamente, a tiros, na localidade conhecida como Lagoa das Queimadas. Por fim, também foi registrada uma chacina co quatro mortos, em um centro de ressocialização de adolescentes infratores no bairro Sapiranga-Coité, na Capital.

E TEM MAIS:

* Delegada Socorro Portela já assumiu o comando da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas após a operação da Polícia Federal que gerou o afastamento da então titular do órgão, delegada Patrícia Bezerra. O barco precisa ser tocado. A DCTD é a linha de frente do combate ao tráfico no Ceará e recordista na apreensão de entorpecentes.

* E vem por aí mais um escândalo envolvendo gente da Polícia Civil. Trata-se de mais uma investigação relativa ao tráfico de drogas. A Justiça já foi acionada e o Ministério Público também. Em breve, informações sobre o fato. A imagem da PC não termina bem em 2017, infelizmente.

* Em uma semana, três grandes operações foram realizadas pela  Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social após levantamentos de Inteligência. Pacajus, Acopiara e Santa Quitéria foram os alvos escolhidos pelas autoridades para fazer uma “limpeza”, botando na cadeia traficantes, ladrões e assassinos.

* Não pegou bem para o secretário (e provável candidato a deputado federal) André Costa as imagens postadas nas redes sociais dele com uma belíssima loura. Nada que seja escandaloso em sua vida pessoal, mas o que “pegou” foram as imagens da loura num helicóptero da Ciopaer.

* E ainda tem gente que cai o golpe da tal “pirâmide financeira”. Em Iguatu, no Centro-Sul do estado, mais de 500 pessoas foram ludibriadas pelos espertalhões que comandam essa ilicitude. O prejuízo foi de aproximadamente R$ 5 milhões. Felizmente, a  Polícia agiu e prendeu os larápios.