Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2018

4.247 em 12/11/2018  

Secretário afirma que Polícia vai ocupar áreas dominadas hoje pelas facções criminosas

Intermitente piscandoIntermitente piscando Intermitente piscando

SIRENE ABERTA Fernando Ribeiro

André Costa na Babilônia

Secretário da segurança, André Costa, acompanhou a ação da Polícia na comunidade Babilônia

O secretário da Segurança Pública do Ceará, delegado federal André Costa, anunciou que, em breve, (não estipulou datas) a Polícia vai ocupar, ao menos, 15 regiões ou comunidades de Fortaleza que hoje estão dominadas pelas facções criminosas. O trabalho deve ser espelhado na operação que ora a Polícia Militar faz nas áreas da Babilônia (no Passaré) e no Barroso Dois. Uma providência que chega tarde, muito tarde, já em que em muitas dessas comunidades o clima hoje é de um cemitério, isto é, as ruas e casas estão vazias. Os moradores, ameaçados pelos criminosos, já foram embora. Muitos sequer pretendem voltar um dia, já que foram intimidados com armas pelos traficantes. Para salvar a própria vida e a de sua família, muitos pais entregaram aos criminosos o imóvel que foi comprado com o trabalho de anos a fio.

MEDO DE VOLTAR

A presença ostensiva da Polícia Militar em áreas como a Babilônia e o Barroso 2, claro, altera o ambiente. O vai-e-vem de viaturas dos batalhões de Choque e Raio, de viaturas do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e de equipes do Canil e da Cavalaria traz, momentaneamente, uma sensação de quem anda nestas comunidades. Todavia, na cabeça das pessoas há um pensamento que não pode ser evitado. A pergunta é: “até quando eles (os policiais) vão ficar aqui?” O certo é que, a pessoa que foi ameaçada por um traficante trata de ir embora correndo do lugar onde estava. Medidas tomadas pelo Estado de forma atrasada podem não mais remediar situações graves como esta do avanço das facções nos bairros da Capital e a ordem de expulsar de casa seus moradores. Uma verdadeira lástima para a sociedade, e uma vergonha para o estado.

SONHO E REALIDADE

Em recente pronunciamento, o governador do estado, Camilo Santana (PT) abriu uma janela para a gravíssima situação de abandono em que se encontra a Polícia Civil do Ceará. Foi durante a posse de novos integrantes da instituição. Delegados, escrivães e inspetores que foram convocados pelo governo após passarem quatro anos no Cadastro de Reserva do concurso realizado em 2014.  Camilo chamou cerca de 630 candidatos para se submeterem ao curso (eliminatório) de preparação na Academia Estadual da Segurança Pública (Aesp), certo de que, com esse efetivo irá resolver a situação da PC. Chegou a dizer que vai transformar a “Polícia Civil do Ceará na melhor, senão, numa da melhores do País”.  Com tanta demanda (a violência explodindo sem controle) e tantas delegacias fechadas ou funcionando precariamente (a maioria absoluta sem plantões 24 horas), a quantidade de profissionais a serem efetivados não dará para a realização do sonho do governador.  Atualmente, se o governo contratasse o dobro do que convocou, ainda assim, não supriria o déficit de efetivo da PC.

BRIGA NA SEGURANÇA

A Polícia Civil e a Polícia Militar travam uma “guerra” silenciosa e fica nos bastidores da Segurança. Isso porque em alguns Municípios ou comarcas, juízes estão liberando a PM para registrar Termos Circunstanciados de Ocorrência, os chamados TCOs, que são procedimentos equivalentes ao flagrante, mais aplicados pela Polícia nos casos dos crimes com pena de até dois anos de prisão (os chamados Crimes de Menor Potencial Ofensivo).  Delegados e policiais civis afirmam que esta é uma tarefa exclusiva (privativa) da Polícia Judiciária. Já teve caso, recente, de delegado que instaurou inquérito contra PMs. Já o Sindicato dos Policiais Civis anuncia que estão sendo abertos processos contra os PMs que atuam na Inteligência, por estes estarem praticando usurpação de função ao investigar crimes, o que seria, também, uma atividade originária da Polícia Judiciária. A Grande Imprensa nada fala, o assunto é evitado pelas autoridades maiores e a Secretaria da Segurança Pública simplesmente silencia.

CIDADE TAMBÉM FATIADA

Assim como no Sistema Penitenciário cearense, que foi “fatiado” para separar (ou isolar) as facções em cada um dos presídios locais, os bairros de Fortaleza também estão ocupados ou dominados por esses grupos de delinquentes armados. Em recente conversa numa rede social, o próprio secretário da Segurança Pública, André Costa, disse ou ouviu de seu interlocutor (que seria um agente da Inteligência) como está o traçado das facções em Fortaleza. O PCC domina as áreas da Maraponga, Itaperi, Dias Macedo, Bonsucesso, parte do bairro Serrinha e as comunidades da Mana e Barracal, no Jangurussu. Já o Comando Vermelho (CV) dá as cartas na outra parte da Serrinha, Mondubim, Barroso, Bela Vista e nas comunidades do Gueto (na Barra do Ceará) e Babilônia (no Passaré). Já a Guardiões do Estado (GDE), a mais numerosa e mais violenta, domina a maioria dos bairros da cidade. Alguns deles são: Sapiranga-Coité, Aerolândia, Vicente Pinzón, Edson Queiroz, Sabiaguaba, Lagamar, Castelo Encantado, Mucuripe, Vila Velha, Parquel Leblon (em Caucaia), Praia do Futuro e no Caça e Pesca.  E a guerra pela conquista e domínio de território do tráfico é na base da bala!

A ÚLTIMA BALADA

A morte do traficante que comandava o tráfico em vários bairros da chamada zona nobre de Fortaleza repercutiu nas redes sociais e ganhou milhares de acessos nos blogs e sites da Capital e do Interior do Ceará. Petros William Brandão Freire se tornou conhecido no meio das baladas  de Fortaleza. Esbanjava dinheiro com bebidas e farras e estava sempre acompanhado de belas mulheres e também de seguranças. Contudo, sua jornada de gastança e ostentação acabou de forma trágica. Foi fuzilado  na saída de uma balada de fim de semana numa barraca na Praia do Futuro. Segundo as autoridades, Petros era um dos chefes locais da facção Família do Norte (FDN) e traficava para pessoas de classe média alta. Um suspeito já está preso e confessou na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que foi mesmo a “guerra” entre facções o motivo da execução sumária de Petros Freire.  Nove bandidos armados participaram na tocaia armada para o “chefão”. Oito ainda estão sendo procurados pela Polícia.

PLANO DESEJADO

O governo já deu a resposta que era esperada. Informou que “não há a necessidade” de uma intervenção federal no Ceará por conta do descontrole da Segurança Pública, com a matança desenfreada que deixou 5.144 cadáveres nas ruas em 2017 e mais cerca de 400 somente neste mês de janeiro de 2018. No entanto, o Conselho Estadual da Segurança Pública aguarda do governo a apresentação do Plano de Segurança para este ano. O secretário André Costa deve comparecer á próxima reunião da entidade para dizer o que fará em 2018 com o objetivo de, ao menos, reduzir a criminalidade no estado. A população aguarda esta divulgação. Certamente, a estratégia vai demandar mais recursos do cofre do estado, a começar, segundo o próprio Palácio da Abolição, com o aluguel de veículos particulares para as  frotas das polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Perícia Forense, que juntas com a Academia Estadual da Segurança Pública, formam o bloco de órgãos vinculados à SSPDS.

E TEM MAIS!!!

* Começa na próxima semana o treinamento de 116 guardas municipais de Fortaleza para o uso de armas de fogo. Eles passarão por uma rigorosa avaliação psicológica e física. Receberão instruções de armamento e tiro. Tudo com a supervisão da Polícia Federal.

* Os bandidos começaram o ano com todo o gás. Nesta quarta-feira realizaram o segundo ataque a banco do ano.  No intervalo de apenas 13 dias, foi o segundo assalto. O primeiro contra o Bradesco de Ibaretama, no dia 11. Hoje (24), ao Bradesco da cidade de Varjota. Nos dois episódios, muitos tiros.

* A Polícia Civil e o Exército Brasileiro  já conseguiram recuperar quase toda a munição que foifurtada de um quartel da corporação, em Fortaleza. Quatro pessoas (entre elas, dois soldados do EB) estão presas. As 16 mil munições desviadas são de calibres 7.62 (para fuzis) e 9  milímetros (para pistolas).

* Entre os dias 1º e 23 de janeiro em curso, nada menos, que 393 pessoas foram assassinadas no Ceará. Em todo o mês de janeiro de 2017, a SSPDS registrou 349 homicídios. A julgar pelo ritmo da violência neste intervalo, o ano de 2018 pode registrar um novo recorde de assassinatos no estado.

* Presos do Sistema Penitenciário do Ceará estão recebido aulas de Yoga nos presídios. Parece piada, mas não é. Qual o objetivo da Secretaria da Justiça nisso? Ninguém sabe.  O fato é que o ano começa com mortes e fugas nas cadeias cearenses. Disso, a Sejus também nada fala. Silencia.

* A Polícia Militar vai disponibilizar um efetivo de 136 homens para a segurança do evento “Encanta Ceará”, que será realizado nesta quinta-feira (25), no Aterro da Praia de Iracema. Nas edições anteriores, ocorreram vários “arrastões”, principalmente após o término do evento.

* E A PERGUNTA DO DIA: Até quando vai continuar a matança de “novinhas” no Ceará?