Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará 2018

2.302

Atualizado em 15/6/2018  

Briga de torcidas e tráfico de drogas teriam motivado a chacina no Benfica

André Costa 302

Secretário de Segurança, André Costa, revelou que a Polícia já tem um suspeito do crime

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou, oficialmente, no começo da tarde deste sábado (10), as informações acerca da chacina ocorrida no fim da noite de sexta-feira (9), em Fortaleza. Sete pessoas foram mortas numa sequência de três ataques ocorridos entre os bairros Benfica e José Bonifácio, na zona Central da Capital. Entre as vítimas estariam, ao menos, quatro integrantes da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF).

O secretário da Segurança Pública do Ceará, delegado Federal André Costa, em entrevista coletiva agora há pouco na sede da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHH), no bairro de Fátima, não descartou a hipótese de o crime está ligado a uma briga entre torcidas organizadas. Ao menos, um suspeito já foi identificado e está sendo procurado pela equipe da DHPP.

André Costa informou, ainda, que somente exames periciais irão esclarecer se os atiradores foram os mesmos nos três locais. Projéteis retirados dos corpos das vítimas e cápsulas recolhidas nos locais dos crimes serão avaliadas pela equipe de Balística da Perícia Forense do Ceará (Pefoce).

Ataques

De acordo com a Polícia, o primeiro ataque ocorreu na Praça da Gentilândia, na Avenida 13 de Maio, no bairro Benfica, onde oito pessoas foram baleadas. Três delas morreram no local e uma quarta ainda foi socorrida para o IJF-Centro, onde faleceu ao dar entrada na Emergência. O ataque aconteceu por volta de 23h30, segundo registros da Polícia. No local havia uma aglomeração de estudantes universitários e moradores da área.

O segundo ataque aconteceu na Vila Demétrius, a cerca de 400 metros da Praça da Gentilândia, onde está sediada a TUF. Ali uma pessoa foi baleada e morreu no local.

O terceiro ataque aconteceu na esquina das ruas Major Facundo e Joaquim Magalhães, onde mais duas pessoas foram baleadas. Uma morreu no local e a outra no IJF-Centro. Elas chegavam na sede da TUF uniformizadas quando foram atacadas e baleadas.

A Polícia já identificou algumas das vítimas mortas e outras que estão feridas e que permanecem hospitalizadas sob proteção policial no IJF-Centro.

Mortos

Os sete mortos já foram identificados pela Polícia. Os nomes divulgados são os seguintes: Bruno Araújo Oliveira, 23 anos; Júlio César Clemente da Silva, 28 anos; Carlos Victor Menezes Barros, 23 anos; Pedro Braga Barroso Neto, 22 anos; Joaquim Vieira de Lucena Neto, 21, Adenilton da Silva, 22; e José Gilmar Furtado de Oliveira Júnior, 33 anos.

De acordo com o secretário da Segurança, alguns dos mortos tinha antecedentes criminais por roubo, tráfico de drogas e associação criminosa para o tráfico.