Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2018

3.923 em 16/10/2018  

Suspeitos de ataques em Fortaleza trocam tiros com a Polícia e são presos com fuzil e pistolas

Armamento 30 Armamento 20

Os suspeitos portavam um fuzil, pistolas e coletes à prova de balas, além de muita munição

Uma intensa perseguição policial, com tiroteio e acidente terminou na prisão de uma quadrilha suspeita de envolvimento nos últimos ataques contra ônibus e prédios de órgãos públicos em Fortaleza. A onda de atentados foi ordenada por uma facção criminosa após a morte de três dos seus chefes durante uma operação da Polícia Civil no interior do estado. O grupo preso no fim da noite desta terça-feira (31) estava armado com fuzil, pistolas e coletes à prova de balas.

A calada policial aconteceu na área do Grande Bom Jardim, dominada pela facção Guardiões do Estado (GDE) e pelo PCC. Bandidos atentaram contra ávida de policiais militares que estavam de serviço numa base móvel da PM instalada no Bom Jardim.

Depois do tiroteio, houve um cerco policial em vários pontos da Capital. Mas a ação que terminou na prisão da quadrilha ocorreu no Grande Jangurussu. Policiais que faziam o moto-patrulhamento da Área Integrada de Segurança Três (AIS-3), se depararam com um grupo suspeito circulando em um veículo pelas ruas do Conjunto Palmeiras. Ao tentar fazer a abordagem aos bandidos na Rua Catolé, os PMs foram recebidos a tiros. Em seguida, os criminosos empreenderam fuga, começando ali a perseguição.

Durante a fuga, o motorista do veículo perdeu o controle da direção e o automóvel capotou no Conjunto Almirante Tamandaré. Os quatro homens armados foram detidos. Com eles, a Polícia encontrou um fuzil de calibre 5.56, duas pistolas de calibre 9 milímetros, além de coletes e muita munição.

O grupo foi encaminhado ao plantão do 30º DP (São Cristóvão), mas deverá ser transferido nas próximas horas para a Delegacia de Repressão às Ações do Crime Organizado (Draco), que investiga a autoria dos atentados.