Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

1.681 em 13/9/2019  

Vereador Julierme Senna afirma que policiais são tratados como bandidos pela Controladoria de Disciplina. "É um tribunal de exceção"

“Temos uma Controladoria de Disciplina nefasta, ditatorial, perseguidora e abusiva. Quando o policial chega lá é tratado como bandido, e o bandido como vítima. É um verdadeiro tribunal de exceção”.

As palavras são do policial civil e vereador de Fortaleza, Julierme Senna. Ele repetiu, ontem, as palavras ditas durante um discurso na tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza em fevereiro do ano passado, quando pediu providências ao governador Camilo Santana (PT) diante dos relatos de vários casos de abusos praticados pela Controladoria.

Nesta quinta-feira (29), Julierme voltou a abordar o assunto, ao afirmar que está acompanhando novas denúncias contra as atividades da CGD, a partir da ação desastrosa ocorrida na semana passada em que um policial militar foi baleado numa abordagem feita por agentes daquela instituição. O fato trouxe novamente à tona os questionamentos sobre as atividades abusivas e ilegais praticadas pelas equipes da CGD.

“Quem é que fiscaliza as ações abusivas da Controladoria? O policial que chega ali é tratado como um bandido, e o bandido como vítima, veja que inversão de valores. O que queremos é uma Polícia Judiciária valorizada e não seus profissionais humilhados. Lá fazem isso porque não conhecem o nosso trabalho de rua”, disparou.

A polêmica em torno desses abusos levou várias autoridades a questionar as atividades da CGD e nas mãos do governador Camilo Santana (PT) já existe um pedido protocolado de extinção do órgão.