Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará em 2019

708 em 18/4/2019  

Palácio da Abolição é ocupado por manifestantes nesta quarta-feira

Cerca de 40 pessoas, integrantes de entidades associativas de servidores do Estado, decidiram, na manhã desta quarta-feira (29), acampanhar no interior do Palácio da Abolição. Trata-se de um protesto por não terem sido recebidos pelo governador Camilo Santana (PT) para um encontro previamente agendado.

Até o momento, o Governo não se manifestou sobre o caso. Mas, no começo da tarde, a guarda do Palácio impediu que os manifestantes recebessem "quentinhas" para o almoço, o que deixou o clima mais tenso no local. Os representantes dos servidores afirmam que só sairão de lá quando forem recebidos por Santana.

A presidente do Fórum Estadual Unificado de Associações e Sindicato de Servidores do Estado do Ceará, Eliene Uchoa, disse agora há pouco, em entrevista a uma emissora de rádio local, que o encontro com o governador havia sido agendado previamente e confirmado pelo chefe de gabinete do Governo, Élcio Batista. Mas, para surpresa deles, ao chegar na manhã de hoje ao Palácio, foram informados de que não seriam recebidos.

Conforme Eliene Morais, as entidades que formam o Fórum querem apresentar diretamente ao governador um conjunto de demandas que vêm atingindo e prejudicando os servidores estaduais, notadamente, a completa falta de informações e negociações sobre o reajuste anual dos vencimentos dos servidores.

Os representantes querem também o atendimento a outras reivindicações, tais como a realização de concurso público para a contratação de novos servidores públicos para que estes substituam os terceirizados. Querem também providências em relação ao que chamam de quadro caótico na assistência médica aos servidores, já que o órgão responsável por isto, o Issec, não está atendendo a demanda dos servidores.